Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Tomar banho após as refeições pode causar indigestão?

Deixemos as questões sociais que hoje trago-vos uma questão de saúde com a qual muitos de nós convivemos desde sempre.

 

digestão.jpg

 

Sempre se ouviu dizer que tomar banho após as refeições fazia mal, no entanto, só estamos perante uma meia verdade. A água não interfere em nada com o processo de digestão. É só água, e a água atua na parte externa do corpo que em nada afeta a parte interna do corpo e por isso em nada afeta a digestão.

 

Na realidade o que afeta a digestão é a temperatura da água, e não a água em si, pelo que se conseguirmos tomar um banho, mesmo que demorado, com água tépida ou morna, em nada afeta a digestão.

 

Vejamos porquê.

 

A digestão é um processo que exige grandes recursos do nosso corpo. Quanto mais comermos, mais recursos a nossa digestão necessitará. Quando comemos, o nosso organismo canaliza uma grande parte do nosso sangue para o tubo digestivo para que a digestão possa ocorrer. Assim, até porque o volume de sangue no nosso corpo é constante, normalmente o sangue dos membros, e consequentemente, dos músculos, é então canalizado para o tubo digestivo. Se sofrermos um grande choque térmico, seja por colocar os pés e mãos descalços em blocos de gelo após comer um porco bebé na Bairrada, seja por mergulharmos nas fantásticas águas geladas do norte e centro após uma refeição, por mais leve que seja, o que acontece é que o sangue que foi canalizado para a digestão é agora necessário nas nossas extremidades para que a temperatura do nosso corpo se mantenha constante*. Ao canalizar esse mesmo sangue – que é necessário para a digestão - para outras parte do corpo para o regular, pode então originar indigestão.

 

Então e a quantidade de comida ingerida vai influenciar a quantidade de sangue necessário para a digestão?

Efetivamente, quanto mais cheio o estômago se encontrar, mais sangue para a digestão ele vai precisar, por isso, quanto mais comemos mais devemos evitar os choques térmicos, e esforços físicos demasiado elevados, como correr.

 

Podemos morrer de indigestão?

Sim e não.

A indigestão é comum entre as pessoas. Comer demais, stress e até mesmo excesso de nicotina e cafeína podem provocar indigestão, que é caracterizada por dores no abdómen ou no estômago, inchaço ou náuseas, como tal, não se morre de indigestão. O que pode acontecer, é que se se comermos demasiado e for necessário canalizar muito sangue para a digestão pode ocorrer que os músculos não tenham sangue suficiente para o esforço que iremos fazer após a refeição, e isso originar cãibras, e essas sim podem ser fatais. Por exemplo, se alguém após uma boa refeição vai nadar, seja no mar, seja numa piscina de água fria, o que pode acontecer é a pessoa ficar com cãibras que a impeça de sair da água, e que após um esforço em demasia a leve à exaustão e consequentemente morrer afogada. No entanto, se após os primeiros sintomas a pessoa sair da água, então não haverá problemas. 

 

Em suma, se os nossos banhos não tiverem uma temperatura nem demasiado elevada, nem demasiado baixa, não interfere com a nossa digestão e como tal não provoca indigestão, mas se por sua vez interferir com a nossa regulação da temperatura corporal, poderemos padecer deste problema.

 

*A nossa temperatura corporal tende a ser constante ao longo do ano, sem grandes variações ao longo das diferentes estações. Quando está calor o nosso corpo sua para expulsar o excesso de temperatura e refrescar a pele, quando está frio, o nosso corpo treme para voltar a aquecer e manter a temperatura.

 

E vocês, costumam ter em atenção estes fatores?

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Mula 20.02.2017 09:57

    Se a água não é demasiado quente, nem é demasiado fria não há porque arriscar, porque não é uma questão de risco. Nadar no mar é que não mesmo, porque para além da água ser demasiado fria a ela ainda se ali o esforço físico, e então aí pode efetivamente ser perigoso. Agora um duche em casa com água tépida não faz mal algum, porque efetivamente o perigo está nas diferenças de temperaturas e não na água em si. Água é só água, atua apenas na parte externa do corpo, não influencia a nossa parte interna.


    Agora, relativamente ao que me pergunta, se faz mal dormir depois de comer. É normal que após as refeições fiquemos com sono, devido a uma grande quantidade do nosso sangue estar a ser utilizada na digestão e daí dar aquela grande "moleza", no entanto não há entre os profissionais de nutrição um consenso sobre se dormir faz mal ou não e o que se entende é que efetivamente depende de pessoa para pessoa. Há no entanto, um consenso que não faz mal descansar após as refeições e aí entram as sestas que são consideradas saudáveis se entre 30 minutos até duas horas, mas mas muitos profissionais indicam que jantar e aguardar pelo menos duas horas para se ir deitar é o ideal uma vez que à noite o nosso metabolismo é mais lento e fazer a digestão durante o sono pode originar fermentação da comida no intestino e com isso provocar azia e gazes. Mas não há perigo para a saúda, é apenas uma questão de desconforto.


    Já no que toca à melancia e ao vinho.


    O que acontece - e não só com estes dois alimentos - é que existem imensos alimentos incompatíveis, mesmo algumas frutas que não devem ser misturadas. Aqui se passa com a melancia e o vinho, são dois alimentos incompatíveis que podem fazer mal à saúde se combinados. Mas pode experimentar em casa para perceber o porquê: corte uma fatia de melancia e coloque-lhe umas gotinhas de vinho, e veja o que acontece. A melancia vai ficar dura. É um processo químico que ocorre que pode originar mau estar.


    Espero tê-lo ajudado!
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.