Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

do monstro do esparguete voador

"no princípio era o esparguete. ele criou as montanhas, as árvores, os homens e viu que era bom."

depois nasceu uma religião.

 

 

 

difícil de acreditar? pois, mas não é! o pastafarianismo ou massafaranismo (jogo de palavras com as expressões pasta, que significa massa em inglês e rastafari) é de facto uma religião fundada por bobby henderson em 2005, num protesto contra o facto de uma escola da pensilvânia exigir dos professores de ciências o ensino do criacionismo como alternativa à teoria da evolução.

henderson mandou então uma carta aberta à escola dizendo que acreditava num criador sobrenatural chamado monstro do esparguete voador (flying spaghetti monster) formado por esparguete e almôndegas. o objectivo essencial era mostrar que todos os argumentos para a inclusão do criacionismo nas escolas também servem para a inclusão do ensino do pastafarianismo. a ideia pegou não só como uma paródia mas também como argumento usado por ateus para demonstrar a não existência de deus: de que difere esta religião de qualquer outra? 

 

- como qualquer religião que se preze o pastafarianismo assenta em diversos "pilares", sendo que cito os mais relevantes:

*o universo foi criado pelo monstro do esparguete voador - ou seja, o deus - começando com uma montanha, árvores e um anão.

* só existem terramotos, furacões e aquecimento global porque os piratas decresceram exponencialmente desde o século XIX.

* foi o monstro do esparguete voador que, de forma intencional, plantou todas as provas a favor da evolução, num objectivo claro de testar a fé dos pastafarianos, pelo que foi por isso que escondeu os fósseis dos dinossauros na terra.

* o paraíso do pastafariano inclui cerveja em abundância e striptease de mulheres. já no inferno a cerveja é sem álcool e as mulheres do striptease têm doenças sexualmente transmissíveis.

 

 

- além disso o monstro do esparguete voador entregou 8 condimentos (não havia conhecimento da palavra mandamento) ao capitão mosey (o grande profeta):

1. realmente preferiria que não agisses como um santarrão imbecil, a achar-te melhor que os outros quando descreveres a minha santidade espaguética. se alguns não crêem em mim, não há problema. na verdade, não sou tão vaidoso. além disso, isso não é sobre eles, logo não mudes de assunto.

 

2. realmente preferiria que não usasses a minha existência como um meio para oprimir, subjugar, castigar, eviscerar, ou … tu sabes, ser mau para com os outros. não peço sacrifícios e a pureza é para a água potável, não para as pessoas.

 

3. realmente preferiria que tu não julgasses as pessoas pelo seu aspecto, ou como se vestem, ou pela maneira como falam, ou… olha, sê simplesmente bom, está bem? ah, e que te entre na cabeça: mulher = pessoa, homem = pessoa, samey = samey. nenhum é melhor que o outro a menos que falemos de moda claro, sinto muito, mas de facto a moda foi entregue às mulheres e a alguns homens que conhecem a diferença entre verde mar e fúcsia.

 

4. realmente preferiria que tu não fizesses coisas que te ofendam a ti mesmo, ou a(o) teu(ua) parceiro(a) amoroso(a) mentalmente maduro(a) e com idade legal para tomar as suas próprias decisões. quanto a qualquer outro que se oponha, creio que a expressão é “vai-te f***r”, a menos que aches ofensivo.

 

5. realmente preferiria que não desafiasses as ideias fanáticas, machistas e de ódio com o estômago vazio. come primeiro, depois vai ter com os parvos.

 

6. realmente preferiria que tu não construísses igrejas/templos/mesquitas/santuários multimilionários à minha santidade macarrônica quando o dinheiro poderia ser melhor utilizado em (a escolha é tua):

    a. terminar com a pobreza.

    b. curar doenças.

    c. viver em paz, amar com paixão e baixar o preço da televisão por cabo.

posso ser um ser omnipresente de hidratos complexos, mas desfruto das coisas simples da vida. eu sei, por isso SOU O Criador.

 

7. realmente preferiria que não andasses por aí a contar às pessoas que eu falo contigo. não és assim tão interessante. cresce! disse-te que amasses o teu próximo. não entendes as indirectas?

8. realmente preferiria que não fizesse aos outros o que não gostarias que fizessem a ti. se não gostas de…  daquelas coisas que usam muito couro/lubrificante/Las Vegas então não esperes que os outros gostem. no entanto, se a outra pessoa também gostar da brincadeira (conforme #4), então aproveitem, tirem fotos, e pelo amor de mike, usem preservativo! é verdade, é um pedaço de borracha. se não quisesse que vocês gostassem da brincadeira teria colocado pregos no playground ou algo assim.

 

por fim, para terminar isto, deixo apenas o seguinte:

em 2012 niko alm afirmou frequentar a igreja do monstro do esparguete voador para poder aparecer na fotografia da carta de condução com um escorredor de massa na cabeça. na áustria só são permitidos acessórios na cabeça, para efeitos de documentos oficiais, quando relacionados com alguma religião e a verdade é que depois de recorrer a tribunal, foi-lhe dado pleno direito:

 

 

portanto, vamos rezar? têm o escorredor a prontos?

 

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.