Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Como falar (e escrever) melhor português

Leituras (Imagem Pixabay)

 

Não há instância da nossa vida em que o domínio da língua não seja importante. Dar erros de português provoca doenças? Não. Mas além de, a mim, nalguns casos, provocar ligeiros enfartes do miocárdio (figurados), pode prejudicar-nos no trabalho e na vida pessoal. 
Atire a primeira pedra quem nunca descartou à primeira conversa aquele jeitosão porque ele diz hádes

 

É preciso ver que nem toda a gente chicoteia a língua portuguesa por desprezo puro. Nem todos têm as mesmas oportunidades de formação. E para além disso os calinas das aulas de português do passado, podem arrepender-se no presente. Mais além ainda, há pessoas que geralmente falam e escrevem sem erros, mas continuam a dar alguns por desconhecimento ou desatenção e querem aumentar o seu vocabulário. Eu, por exemplo, tenho uma deficiência grave ao nível do uso de vírgulas e tenho de pensar sempre dez vezes antes de escrever carrocel ou expectativas (e outras onde confundo o uso do o e do u).


Como fazê-lo então? Se o tempo de escola já foi (ou nem foi)?

A solução está numa palavra tão curta, que não há como errar ao escrevê-la: LER!

Ler algo, ler mais, ler melhor.

 

Encontrar o(s) género(s) em que nos sentimos confortáveis – nem que sejam romances de cordel – e aprender durante um momento de lazer, muito naturalmente. Aos poucos, vamos melhorar, mesmo sem a perceção palpável disso. E não quero ouvir ninguém dizer que não gosta de ler. Sobre isso já vos falei.

 

De resto, podem ler o que quiserem, quando quiserem (toda a gente consegue ler uma página e meia que seja antes de fechar os olhos ou à hora de almoço), em papel ou num ecrã, emprestado, vosso, pela web. Tenham uma mínima atenção à fonte: ler determinadas editoras que não reveem as obras que publicam pode resultar mal e muito do que se vê na net (incluindo blogs) está bem escrito como eu bem danço (nada). Na dúvida, sigam sugestões e referências de pessoas em cujo gosto e nível de português confiam. Ou, se quiserem, posso fazer um próximo post sobre isso. 

 

Sigam-me no blog pessoal, no Instagram - @maria_das_palavras e no Facebook aqui. O Aprender também tem página no Facebook: aqui.

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Bruxa Mimi 01.06.2017 10:50

    O melhor é escrever bem, em bom português! Image
    Mais a sério, eu compreendo as dúvidas e também as partilho, muitas vezes. O facto de "bem" ser às vezes um advérbio, outras vezes um adjetivo e outras ainda, um nome, não ajuda a distinguir de "bom", que pode ser um adjetivo ou um nome (pelo menos não é advérbio!). No caso da frase com que iniciei o comentário, bem é um advérbio (classifica o verbo, por assim dizer) e bom é um adjetivo (classifica o nome que vem a seguir). Muito sinceramente, não sei tirar dúvidas a este respeito...
  • Sem imagem de perfil

    António Ferreira 01.06.2017 12:41

    Não sou entendido na matéria. No entanto, tenho um pequeno "truque", que uso e que me resolve a maior parte dos casos.
    -MELHOR tem a seguir, geralmente, um substantivo: o melhor carro, o melhor sítio, a melhor maneira, etc.
    MAIS BEM tem a seguir, geralmente, um particípio passado: bife (mais9 bem passado; mais bem dito (não: melhor dito), mais bem construído; mais bem conseguido, etc.
    Cumprimentos.
  • Sem imagem de perfil

    M 01.06.2017 20:22

    A minha professora do 1º ciclo ensinou outro método para não esquecer que "de bom só pode ser melhor", "de bem fica mais bem" Image
    Consistia, quando em dúvida no uso de melhor ou mais bem, em substituir o melhor por bom e ver se fazia sentido.

    ex: melhor construido - bom construido????      melhor dito - bom dito????? melhor conseguido - bom conseguido??? 
    Pena que os nossos jornalistas, redactores e pivots da comunicação não tenham prestado atenção nas aulas, ou então eram os profs deles que não eram bons.
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.