Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

5 Dicas para Fazer Mudanças

Mudanças - Imagem Pixabay

Como sabem (ou podem fingir que sabem) esta Maria que vos escreve (e faz hoje aninhos, não se coíbam de ir lá ao blog dar os parabéns) deu uma voltinha à sua vida e mudou-se  da terra dos mouros para norte, a 3 horas de distância da rua onde podia jurar que moraria para sempre. Fazer mudanças é difícil. Fazer mudanças para tão longe e sem tempo útil para tratar delas é pior que resistir a doces por 66 dias...

Ficam então as dicas que nos têm poupado dinheiro e tempo (e paciência):

 

1. Deitar fora tudo o que não usaram (ou viram) no último par de anos. Vão descobrir que têm infinitamente mais tralha do que juravam em sítios da casa onde já nem se lembravam que estavam a servir de armazém (mas também bem à vista). Se algo vos provoca a expressão "ah, já nem me lembrava que tinha isto": vai fora. Se fiz isso com todas as coisas que vi e devia ter deitado fora? Não. Foi assim que acabei com 53 caixas cheias de tralha para trazer para cima. Mas falando em caixas... 

 

2. Uma questão de caixas...grátis. Como disse, a minha estimativa era encher 4 caixas e meia: ora bem, uma para os tachos e copos, duas com roupa, uma com livros, meia com outras cenas. Yeah, right. Pois bem, 4 caixitas médias na AKI custam 5€ e picos. 53 caixas pedidas no LIDL e no Mini Preço lá da zona custaram: 0€. Falem com os super mercados da zona para que vos guardem caixas e recolham nos dias que vos indicarem. As da Panidor têm o tamanho ideal, as de bananas são bem resistentes para as coisas mais pesadas. Sim, estou uma especialista. 

 

3. Se tiverem mobília, eletrodomésticos e tuditudo para mudar e muita pressa e poucos braços, considerem contratar uma empresa de mudanças. Acreditem, quando forem fazer as contas a tudo (sobretudo quando envolve muitos quilómetros, portagens, aluguer de camião e afins) o preço acaba por ficar bastante semelhante, numa equação que não envolve força de braços. Vão encontrar preços para todos os gostos e as modalidades preço à hora vs preço fixo. Eu dou preferência ao preço fixo porque gosto de saber com o que contar (e se posso contar) e sei que estas coisas levam sempre mais tempo do que o estimado. Peçam muitos orçamentos para terem opções e leiam muitas reviews das empresas na net antes de fazerem a vossa escola.

 

4. Antes de começarem a empacotar tudo sem distinção separem devidamente as coisas que vão precisar durante o processo de mudanças e nas horas (dias?) seguintes. Roupa para dois ou três dias, calçado, artigos de higiene e mesmo toalhas e lençóis à mão é capaz de não ser mal pensado. Vão ser as primeiras coisas de que vão precisar e sabe-se lá a que horas terminam as mudanças.

 

5. Peçam ajuda! A amigos e familiares e à vizinha que mora com o seu gato. Acreditem, eu também não queria (e achava que não ia precisar). Mas quando em 48 horas tive de encaixotar uma casa e ao fim do segundo tinha exatamente uma divisão pronta, tive de me render às evidências.

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.