Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Cuidados a ter com os animais de estimação quando está calor

cachorro-piscina_thumb.jpg

Aproxima-se mais uma onda de calor e, se para nós é difícil, imaginem para os nossos animais. Por isso resolvi rebuscar este post para dar alguns conselhos:

Comecemos pelos animais que estão nas gaiolas (pássaros, coelhos, chinchilas, etc). Congele duas garrafas de água (de 1 litro ou litro e meia). Reserve uma e coloque a outra por cima da gaiola. Ao deixar a garrafa com água congelada em cima da gaiola permite que o ar fique mais fresco e seja mais fácil suportar o calor. Assim que a primeira estiver descongelada, substitua pela que ficou no congelador e vá alternando.

É um conselho para o ano todo mas fundamental no verão. Mantenha sempre água disponível para que os seus patudos bebam. Se tiver um bebedouro (daqueles com recipiente), use um termoacumulador congelado dentro do bebedouro para manter a água fresca. Se for uma taça, meta uns cubos de gelo. Ande sempre com água para lhes dar em qualquer lado, quando sair com eles.

Não saia com os seus patudos nas horas de mais calor e evite zonas com sol. As patinhas deles não estão preparadas para suportar um chão muito quente e podem-se queimar. Da mesma forma não os deixe deitar no chão mais quente. Apesar do pelo, as queimaduras podem ser bastante graves.

Se o patudo tiver pelo muito claro, use protector solar e evite, ao máximo, que ele apanhe sol.

Se os patudos estão no quintal/jardim, providencie sombras onde ele se possa proteger.

Não se esqueça que, a altura do verão, é a altura das pulgas, mosquitos e afins. No caso dos cães que saem à rua é fundamental protege-los para evitar que esses bichinhos os chateiem.

Por fim, não deixe, em circunstância alguma, o seu patudo fechado num carro nem que seja por dois segundos. Não o deve fazer no inverno, é proibidíssimo faze-lo no verão.

O tremoço

O tremoço é uma leguminosa da mesma família da ervilha e da fava e bastante rico nutricionalmente: possui três vezes mais proteínas e duas vezes mais fósforo do que o leite de vaca, uma quantidade elevada de cálcio, vitaminas E e do complexo B, fósforo, potássio, ácidos gordos insaturados (ómega 3 e 6), ferro e fibras.

 

O grão seco é tóxico - contém a substância alcalóide lupanina que lhe confere um sabor amargo. Só depois de cozido e demolhado em água salgada se torna comestível.

 

É um aperitivo bastante apreciado no nosso país especialmente no Verão em cafés e esplanadas típicos, geralmente acompanhados por cerveja e apelidado “marisco dos pobres”.

 

Os tremoços têm, em média, 1/6 das calorias, por peso em relação a outros aperitivos como amendoins ou batatas fritas. O único senão é o sal que lhe é acrescentado, mas isso pode ser corrigido lavando bem os tremoços ou demolhando-os.

 

tremoço.jpg

 

 

fonte da informação Aqui e imagem Aqui

 

 

7 erros que se fazem quando se quer perder barriga

 

O verão está aí e a preocupação com a linha aumenta nos dias que correm. Porém, nem sempre se opta pelas melhores dietas, que normalmente restritem  alguns grupos de alimentos que são essenciais para o nosso bem-estar físico e emocional. 

gordura-barriga.png

 

Porém, se está a pensar perder alguma gordura que tem acumulada na zona da barriga, esteja atenta/o aos erros que comete e que comprometem esse desejo:

 

1 - Saltar refeições

Há cada vez mais pessoas que saltam refeições durante o dia, o que faz com que no final do dia, como têm tanta fome, acabem por atacar tudo e mais qualquer coisa. O ideal é comer pequenas porções de 3 em 3 horas, pois vai sentir-se saciada e sem vontade para exagerar;

 

2 - Tornar-se vegetariano

Pensa-se, erradamente, que a carne, o peixe e os derivados do leite são as principais fontes de gordura erradamente. Assim, as pessoas deixam de os incluir nas suas refeiçoões. Porém, são estes alimentos que nos fornecem as proteínas e ajudam a evitar aqueles centímetros extras que aparecem na zona da cintura.


3. Deixar o pão

Como é do conhecimento geral, deve-se preferir os pães integrais e enriquecidos com cereais, pois estes mantêm os níveis de insulina mais estáveis, reduzindo as hipóteses de ganhar mais gordura na barriga. 

 

4. Fazer abdominais excessivos

É lógico que esse tipo de exercícios tonificam os músculos, mas eles, sozinhos, não vão fazer desaparecer a gordura que recobre os tão perseguidos abdominais. Em vez dos ditos abdominais, prefira perder algum tempo em exercícios aeróbicos, como uma caminhada, corrida ou mesmo andar de bicicleta.


5. Beber álcool

As bebidas alcooólicas têm grandes quantidades de calorias e está a acumulaa gordura na região abdominal. Se for inevitável, prefira os menos calóricos, como o vinho tinto que, segundo os especialistas, em pequena quantidade, ainda ajuda a combater a gordura.


6. Consumir muitos produtos “light”

A maior parte dos alimentos light contêm grande quantidades de adoçantes artificiais, o que alguns nutricionistas acreditam que podem desencadear problemas no metabolismo, aumentando as reservas de gordura.


7. Eliminar a gordura da alimentação

Pode até parecer contraditório, mas alguns alimentos ricos em gordura “boa” podem ajudar a reduzir a barriga e a comer menos, como por exemplo o abacate,os frutos secos, o óleo de côco e a manteiga purificada (ghee).

Manjerico: Tradição e Dicas para viver mais com maior qualidade!

Já dizia a minha querida Avó, que não há cheiro como o do Manjerico. 

 

Não sei se todos concordarão, mas o que é certo é que a vinda o Manjerico trás muito mais do que um simples aroma. 

Com o surgir evidenciado do Manjerico, vêem também (logo a seguir) os Santos Populares, o Verão, o Calor, os tempos de festa, as sardinhas, a esplanadas cheias, a praia, as roupas frescas e para alguns (penso eu, que para muitos)... as tão esperadas, férias!!! 

Eu faço questão de ter um Manjerico todos os anos. Pessoalmente, pelo simbolismo que tinha para a minha avó e para mim, que em conjunto, o tratávamos, enquanto me contava umas belas histórias sobre as suas vivências na época.

 

Mas vá...a verdade, a verdade... é que enquanto a minha avó cuidava dele tão dedicadamente, eu preferia ficar a ouvir as suas histórias, pelo que, não fui uma grande aprendiz nesta área. Assim sendo, desde que faleceu, que não tenho tido muito sucesso no seu cuidado. Como tal, este ano, decidi ler mais profundamente sobre este tema e resolvi partilhar convosco algumas dicas úteis para tentarem manter os vossos Manjericos vivos e de boa saúde, o máximo tempo possível.

 

 

Sobre o Manjerico...


O caule é pequeno com apenas 20 cm. Anguloso, muito ramificado, verde claro e a planta no seu geral tem a forma redonda.
As folhas são muito aromáticas, pequenas, fortes ovaladas e pontiagudas, verdes e estriadas. Possuem pequenas glândulas na face posterior (pontos translúcidos) e flores pequenas, brancas, cheirosas e em cacho florescendo entre Julho e Setembro. 

É um excelente repelente de insectos.  

 

 

Em Portugal, o manjerico é uma planta bastante associada às festas de Santo António e de São João, realizadas em 13 e 24 de Junho, em vários municípios. Na tradição popular das festas, em honra de Santo António e de São João, é tradição os rapazes comprarem um manjerico num pequeno vaso, para oferecerem à namorada, o qual traz uma bandeirinha com uma quadra popular.

 

 

Dicas úteis para cuidarem do vosso Manjerico...

 

O Manjerico gosta de estar numa posição em que apanhe muita luz, sem no entanto receber com a luz solar diretamente, pois a incidência forte pode provocar queimaduras e até a morte da planta. Pode ser transplantado para vasos, como planta de interior ou exterior, não tolerando frio muito intenso (Não toleram temperaturas a baixo dos 12ºC). Logo:

  • Transplantem o vosso manjerico para um vaso de barro com boa drenagem para que as raízes respirem e não haja acumulação de fungos;
  • Façam a Poda das flores mal comecem a nascer, para prolongar a vida do vosso manjerico;
  • Coloquem-no num local onde haja muita luz, mas tenham cuidado com a exposição nas horas de calor intenso, que pode secar mais facilmente o vosso manjerico;
  • Coloquem-no por cima de um prato com água. Isto ajuda a manter a humidade nas horas de maior calor e evita que a terra seque, pois quando exposto ao sol de forma regular, o manjerico tem de estar bem regado;
  • A rega deve ser efetuada durante a manhã ou ao fim do dia e nunca nas horas de calor intenso.
  • Não se deve encharcar e sobretudo nunca regar as folhas, para que elas se mantenham saudáveis através da humidade do caule e raiz.
  • Mantenha-o num local onde a temperatura nunca seja inferior a 12ºC.

 

 

Conclusão:

Ninguém disse que seria fácil manter um Manjerico vivo e saudável o máximo tempo possível, mas da minha parte, irei continuar a tentar.

 

 

 

Fonte 1

Fonte 2

Fonte 3

Fonte 4

Fonte 5

Insolação: No que consiste e como prevenir!

Chegam estas ondas de calor, e chega também o tempo de alertar para a prevenção de determinadas doenças que surgem com mais frequência durante o Verão.

 

Uma delas, é sem dúvida, a Insolação!

 

 

 

Muitas são as pessoas que chegam às urgências hospitalares com insolações, que podiam ter sido perfeitamente prevenidas. Por isso estejam atentos, e acima de tudo, gozem este calor, seja na praia, em casa, num passeio, etc., com muita prudência.

 

A insolação ocorre devido a uma exposição prolongada ao sol ou calor intenso, e traduz-se na incapacidade do nosso organismo produzir suor suficiente, para fazer diminuir a sua temperatura corporal, podendo atingir níveis perigosamente elevados e provocar um golpe de calor.

 

É através da desidratação, dores de cabeça, pele seca, quente e avermelhada, febre, tonturas, queimaduras na pele, e/ou na pior das hipóteses, convulsões ou perda de consciência, que verificamos que alguém está a desenvolver uma insolação.

 

Desta forma, e se constatarmos que tal está acontecer e a pessoa estiver consciente, devemos:

  • Levar a pessoa para uma sombra e/ou lugar fresco;
  • Retirar roupa em excesso para a pessoa conseguir ventilar mais facilmente;
  • Hidrata-la a nível cutâneo, molhando a pele com água fresca (mas não emergindo total e diretamente em água fria, por exemplo, numa banheira ou no mar, para não fomentarmos a ocorrência de um choque térmico);
  • Hidrata-la a nível oral, oferecendo água ou chá fresco, devendo evitar bebidas com álcool e cafeína, pois aumentam a probabilidade de desidratação;

 

 

Contudo, se a pessoa não melhorar, deverão acompanha-la ao hospital ou ligar para o 112, pois poderá significar que a pessoa necessita de cuidados médicos especializados.

 

Soluções naturais para os "males" do Verão

O Verão é uma das estações do ano mais amada pelas pessoas! É o tempo do calor, das idas à praia, dos corpos bronzeados, e de muitas outras coisas... No entanto, nem tudo é um mar de rosas, nesta estação, existem imensos contratempos que todos podemos sofrer, como por exemplo, os mosquitos, as melgas, os escaldões, o cabelo descolorado do sol e do cloro das piscinas, os pés estragados pelo uso dos chinelos, os escaldões, etc, etc.

 

Durante as próximas semanas, vou dar-vos a conhecer alguns produtos naturais, que podem ser preparados em casa, que nos ajudam a combater alguns destes inconvenientes do Verão, de forma a que possam usufruir do melhor que esta estação tem.

 

Nesta primeira semana começamos pelas melgas e mosquitos.

É possível criarmos os nosso próprio repelente de insectos, a partir do Óleo de Citronela, misturando-o com óleos essenciais de Gerânio, Alecrim e Eucalipto.

 

Repelente de Insectos Natural

Repelente de insectos natural

Ingredientes:

  • 85 g de cera pura de abelha (caso esteja em barras, picá-las)
  • 1 colher de sopa de Óleo de Coco
  • 8 gotas de Óleo essencial de Citronela
  • 8 gotas de óleo essencial de Gerânio
  • 8 gotas de Óleo essencial de Alecrim
  • 8 gotas de Óleo essencial de Eucalipto


Instruções:
1. Derreter em banho-maria a Cera Pura de Abelha juntamente com o Óleo de Coco.
2. Uma vez derretido, retirar do fogo e deixar esfriar um pouco, sem solidificar Juntar os outros Óleos essenciais e transferir tudo para cuvetes de cubos de gelo.
3. Guardar no congelador até endurecer. Retirar os cubos e guardá-los numa embalagem hermética.
4. Para usar colocar um cubo no topo de um difusor de cera de vela. Acender uma vela por baixo e permitir que o cubo de cera derreta.

 

Repelente de insectos natural

 

É possível adicionar outros óleos essenciais, caso queiram obter um aroma mais forte. A cera pode ser reutilizada várias vezes, adicionando óleos essenciais frescos quando necessário.

 

 

 

Fontes: 

HelloNatural.co