Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Sanita no avião

engenhocas_casa_de_banho_22.jpg

Quantas vezes não ouvimos já alguém dizer que quando vamos à casa de banho nos aviões, as necessidades – liquida ou sólidas – são despejadas para fora e que só não caem nas cabeças das pessoas por causa da altitude.

Hoje esclarece-se aqui como funcionam as sanitas dos aviões.

Mas primeiro e para quem não tenha a certeza, expliquemos de uma forma rápida e simplista como funciona a sanita em casa. Normalmente a sanita tem alguma água no fundo e, logo a seguir, há um cano (o sifão) que faz uma curva para cima e outra para baixo e só depois vai para o esgoto. Quando despejamos o autoclismo, a água que sai, com o apoio da gravidade – essa nossa querida amiga – força a saída dos dejectos que estão no fundo pelo dito sifão (eu disse que era de uma forma rápida e simplista).

Ora, nos aviões não se pode usar o mesmo método porque qualquer turbulência poderia provocar uma inundação.

Depois de muito estudo e tentativas, o sistema usado hoje é quase perfeito e quase sem água. As sanitas têm um sistema a vácuo no lugar do tradicional sifão passivo. Quando carregamos no autoclismo uma válvula é aberta no cano colector e o sistema a vácuo suga o conteúdo da sanita para dentro de um tanque. O dispositivo de sucção é eficaz e, por isto, requer pouca água para limpeza da sanita.

972120_10151504675257917_1153858366_n.jpg

Depois dos dejectos saírem da sanita, chegam a um reservatório pressurizado (mais não seja para evitar saídas de cheiros). De notar que a capacidade desses reservatórios pode chegar a 250 litros e os aviões podem ter mais que um.

(curiosidade, sabem que, diariamente e em média, um adulto saudável elimina 1,4 litros de necessidades liquidas e sólidas na casa de banho?)

Finalmente, quando o avião chega ao destino, os reservatórios são esvaziados para o esgoto do aeroporto.

Mas, tal como as sanitas de casa, as sanitas dos aviões também entopem. A causa mais comum é as borras de café que o pessoal de cabine deita na sanita. Mas também acontece os passageiros acharem que a sanita é um caixote do lixo e deitam, lá para dentro, fraldas, pensos higiénicos, meias, relógios, e papel, toneladas de papel.

Já agora e por curiosidade, vejam o vídeo abaixo sobre este tema.