Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Fazer "Leite Vegetal" em casa

Cada vez é mais comum as pessoas descobrirem que são intolerantes e até mesmo alérgicas à lactose. Por isso, ou por outras razões, deixam de consumir leite animal e passam a consumir outros leites, chamados leites vegetais.

Resultado de imagem para leites vegetais

Estes " Leites Vegetais", são uma alternativa vegetariana bastante saudável e nutritiva, pois contêm grandes concentrações de vitaminas, minerais, cálcio e ácidos gordos essenciais ao bom funcionamento do organismo. No entanto, estes leites são bastante mais caros e nem todas as pessoas têm facilidade no seu acesso. Assim, aqui ficam algumas receitas para os fazerem  em casa de uma forma bastante prática, saudável e muito mais económica:

 

Leite de Aveia

Numa taça demolhe 1 caneca de aveia em flocos em 4 canecas de água e deixe ficar durante toda a noite. De manhã coloque num liquidificador a aveia demolhada e a água e junte mais 1 caneca de água.  Pode juntar mel, tâmaras,stevia ou outro produto que adoce  a gosto e/ou canela e baunilha (Eu só lhe junto uma colher de café de canela em pó). Misture até ficar uma pasta homogénea. Deixe a coar num passador fino ou num filtro de café e coloque no frigorífico. Deve ser consumido no prazo de 4 dias.

 

Leite de Arroz

Limpe e lave 1 caneca de arroz integral em várias águas.Numa taça demolhe o arroz em 4 canecas de água e deixe ficar durante toda a noite. De manhã coloque num liquidificador o arroz demolhado e a água e junte mais 1 caneca de água.  Pode juntar mel, tâmaras,stevia ou outro produto que adoce  a gosto e/ou canela e baunilha (Eu só lhe junto uma colher de café de canela em pó). Misture até ficar uma pasta homogénea. Deixe a coar num passador fino ou num filtro de café e coloque no frigorífico. Deve ser consumido no prazo de 4 dias.

 

Leite de Amêndoa (ou outro fruto seco)

Coloque 125 gr de miolo de amêndoa com casca  de molho num litro água durante as 24 horas mudando a água pelo menos 3 vezes. No dia seguinte coloca-se no liquidificador o miolo de amêndoa escorrida com 1 litro de água. Pode juntar mel, tâmaras,stevia ou outro produto que adoce  a gosto e/ou canela e baunilha e tritura-se até ficar uma pasta homogénea. Deixe a coar num passador fino ou num filtro de café e coloque no frigorífico. Deve ser consumido no prazo de 4 dias.

 

Leite de côco

Coloque 200 gr de côco ralado numa taça e junte 1 litro de água a ferver. Deixe ficar assim de molho durante 1 hora. Passado esse tempo triture tudo no liquidificador e coe  num passador fino ou num filtro de café e coloque no frigorífico. Também pode juntar mel, tâmaras,stevia ou outro produto que adoce  a gosto e/ou canela e baunilha  antes de triturar. Agite antes de usar e deve ser consumido no prazo de 4 dias.

 

Como congelar cogumelos frescos

6pvsy9sg8sxsxosxq6oebrc92.jpg

Os verdadeiros apreciadores de cogumelos preferem come-los frescos porque são muito mais saborosos que os enlatados, além da diferença do sabor, são mais nutritivos e podem ser encontrados numa maior variedade.

A desvantagem dos cogumelos frescos é durarem muito pouco, apenas uma semana no frio e quando nos lembramos que ficavam maravilhosamente a acompanhar uma receita muitas vezes não os temos no frigorífico.

Como consumidora ávida de cogumelos opto por congela-los, assim tenho sempre cogumelos frescos e saborosos para as minhas receitas favoritas.

Os cogumelos devem ser congelados já prontos a consumir por isso deve-se ter em atenção a receita em que os iremos usar, como cada tipo de cozinhado pede uma variedade diferente é fácil congela-los de acordo com a receita.

Esta é a grande vantagem de cogumelos seleccionados em relação às misturas já congeladas disponíveis nos supermercados, ficam de acordo com as nossas preferências.

Existem diversas variedades de cogumelos, as minhas favoritas são os Portobello, Marrom, Shitake,  Pleurothus os Champignon.

 

Como congelar:

Os cogumelos retêm muita água assim o ideal é não serem lavados antes de congelados, os embalados já higienizados são a melhor opção, se os comprar avulso opte por os limpar com um papel e só em último caso lava-los e não os coloque de molho porque irão absorver muita água e ficarão com uma consistência má a lembrar borracha.

Portobelo.jpg

Portobello – são óptimos para assar e grelhar. Excelente opção para rechear.

Limpe os caules e remova os pequenos veios castanhos, pique os caules e junte com os veios e congele em separado, esta mistura poderá ser utilizada no recheio dos cogumelos ou em risottos.

Disponha os cogumelos limpos num recipiente plano separados uns dos outros e congele, após estarem bem congelados poderá coloca-los noutro recipiente para ocuparem menos espaço.

 

marrom.png

 Marrom - são óptimos para grelhar e saltear.

Remova os caules e congele-os laminados se forem para saltear ou inteiros se forem para grelhar. Os inteiros devem ser congelados de forma a não tocarem uns nos outros.

Pleurotus-1.jpg

 

Pleurothus – são óptimos para saltear e colocar em risottos e massas.

Remova a parte mais dura do caule e parta-os aos cubos ou laminados e congele nas porções que desejar.

 

Shitake.jpg

Shitake - dos meus favoritos ficam bem quase em tudo, em molhos,  risottos, massas,  bruschettas ou apenas refogados.

Remova os caules e corte-os aos cubos ou laminados conforme a usar na receita.

 

champignon.jpg

 

Champignon – são os mais usados, ficam óptimos salteados e em salada, mas para saladas devem ser utilizados frescos.

Remova os caules e lamine-os é a forma como ficam mais saborosos, embora estes cogumelos não sejam tão bons depois de congelados.

 

Todas as variedades devem ser congeladas o mais frescas possível para conservarem as suas propriedades, depois de congelados os cogumelos duram muito tempo, embora não haja uma data de validade estes não devem ultrapassar os 6 meses no congelador para garantir que estão em bom estado.

No momento da utilização os cogumelos não devem ser descongelados devem ser incorporados nas receitas de imediato para não existirem alterações na sua textura e o sabor.

 

Dica de poupança: os cogumelos frescos são um alimento com um preço relativamente elevado, para que fiquem mais económicos podem aproveitar uma promoção, comprar em maior quantidade e congelar, ficam mais em conta mas com todo o sabor.

A sopa da Pedra

Não sabem de onde sou?

 

Ora no final deste texto podem adivinhar... aqui nesta cidade três coisas têm muita fama: o melão, o vinho e a sopa da pedra...

 

A sopa da pedra essa então faz com que pessoas se inscrevam em excursões e em caravanas de autocarros... chegam cheias de vontade de provar essa iguaria (que aqui para nós é apenas sopa de batatas, carne, feijão e couves).

Ora conta a lenda...

 

.. que um frade andava no peditório. Chegou à porta de um lavrador, não lhe quiseram dar esmola. O frade estava a cair com fome, e disse:

 

- Vou ver se faço um caldinho de pedra!
E pegou numa pedra do chão, sacudiu-lhe a terra e pôs-se a olhar para ela, para ver se era boa para fazer um caldo. A gente da casa pôs-se a rir do frade e daquela lembrança.
Perguntou o frade :
- Então nunca comeram caldo de pedra? lhes digo que é uma coisa boa.
Responderam-lhe :
- Sempre queremos ver isso!
Foi o que o frade quis ouvir. Depois de ter lavado a pedra, pediu :
- Se me emprestassem um pucarinho.
Deram-lhe uma panela de barro. Ele encheu-a de água e deitou-lhe a pedra dentro.
- Agora, se me deixassem estar a panelinha ao das brasas.
Deixaram. Assim que a panela começou a chiar, tornou ele :
- Com um bocadinho de unto, é que o caldo ficava um primor!
Foram-lhe buscar um pedaço de unto. Ferveu, ferveu, e a gente da casa pasmada pelo que via. Diziafrade, provando o caldo :
- Está um bocadinho insosso. Bem precisava de uma pedrinha de sal.
Também lhe deram o sal. Temperou, provou e afirmou :
- Agora é que, com uns olhinhos de couve o caldo ficava que até os anjos o comeriam!
A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe duas couves tenras.
O frade limpou-as e ripou-as com os dedos, deitando as folhas na panela.
Quando os olhos já estavam aferventados, disse o frade :
- Ai, um naquinho de chouriço é que lhe dava uma graça.
Trouxeram-lhe um pedaço de chouriço. Ele botou-o à panela e, enquanto se cozia, tirou do alforje pão e arranjou-se para comer com vagar. O caldo cheirava que era uma regalo. Comeu e lambeu o beiço. Depois de despejada a panela, ficou a pedra no fundo. A gente da casa, que estava com os olhos nele, perguntou:
- Ó senhor frade, então a pedra?
Respondeu o frade :
- A pedra lavo-a e levo-a comigo para outra vez.

 

E assim começou a fazer-se a dita sopa cá na terra!

 

Para quem se quiser aventurar deixo a receita:

 

Receita - Sopa da Pedra

Ingredientes:


- 2,5 l de água

- 1 kg de feijão vermelho

- 1 orelha de porco

- 1 chouriço de carne

- 1 chouriço de sangue (morcela)

- 200 g de toucinho

- 2 cebolas

- 2 dentes de alho

- 700g de batatas

- 1 molho de coentros

- Sal, louro e pimenta a gosto

 

Preparação:
Ponha o feijão a demolhar de um dia para o outro. De véspera, escalde e raspe a orelha de porco de modo a ficar bem limpa.

 

No próprio dia, leve o feijão a cozer em água, juntamente com a orelha, os enchidos, o toucinho, as cebolas, os dentes de alho e o louro. Tempere de sal e pimenta. Junte mais água, se for necessário. Quando as carnes e os enchidos estiverem cozidos, tire-os do lume e corte-os em bocados.

 

Junte, então, à panela as batatas, cortadas em cubinhos e os coentros bem picados.
Deixe ferver lentamente até a batata estar cozida. Tire a panela do lume e introduza as carnes previamente cortadas.

 

No fundo da terrina onde vai servir a sopa coloque uma pedra bem lavada.

 

a receita oficial pode ser lida aqui