Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Porque é que o bocejo se pega?

Vivia há muito tempo com esta questão...ouvia dizer que se alguém de quem gostamos muito boceja, nós imitamos - se não gostarmos da pessoa não acontece. Ora, como eu tenho a certeza que não gosto particularmente daquele desconhecido meio sujo que ontem bocejou à minha frente no metro e me fez bocejar também...tirei a questão a limpo.

Em primeiro lugar, não há uma concordância científica em relação à origem do bocejo, apesar de ser normalmente associado ao cansaço. A teoria mais comum é de que é um movimento involuntário causado pela falta de oxigénio. Significa que ocorre quando:

  • Os nossos músculos não estão bem relaxados e portanto os sacanas dos pulmões não estão a fazer o oxigénio chegar bem, bem, bem a todo lado e nas melhores condições. Isto pode querer dizer que precisamos de mais exercício (sintam-se à vontade para ignorar esta parte).
  • O ambiente em que estamos precisa de mais ventilação e portanto não ajuda a suprir as nossas necessidades de oxigénio.

 

Assim, o bocejo é um reflexo que nos põe o sangue a circular, oxigenando os canais todos, abrindo-os. Basicamente, ajuda os pulmões a distender os alvéolos - tal como o faz um bom suspiro. Serve ainda de excitante quando estamos sonolentos, o que se pode tornar bem útil. Mas atenção, não se ponham a bocejar à frente do chefe com a desculpa que estão a fazer exercícios de oxigenação para ficarem mais produtivos.



Então, afinal, porque se pega o bocejo?

Por um motivo que não tem nada a ver com isto do oxigénio, mas que é inerente ao ser humano. Um outro reflexo, cortesia do nosso cérebro, mais especificamente do córtex pré-motor e uns simpáticos de uns tipos chamados neurónios-espelho. A questão é que o ser humano, por causa destes meninos, tem tendência para imitar tudo o que vê. É verdade! Se não fosse a existência de um outro córtex, o pré-frontal, éramos todos mimos de profissão. Assim, só imitamos os reflexos mais involuntários, que envolvem a amígdala e o hipótalamo. E só o facto de ser ler a palavra BOCEJO pode despoletar esse reflexo. Já estão a bocejar? Quero ver mãozinhas no ar.

Bocejar

 

Continua a haver alguns estudos que sugerem que tem a ver com a empatia com a pessoa que se vê bocejar, mas vou ignorar esses, visto que não me apetece nada admitir que tenho uma ligação emocional com o tal senhor do metro.


E pronto, isto foi o que aprendi sobre o bicho-bocejo e espero que tenham aprendido qualquer coisa com este texto também. Caso tenham formação médica ou ciêntífica  e eu tenha dito algum disparate, façam favor de corrigir - sem apontar o dedo, que é feio.