Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Passos para uma possível edição dum livro

large (4).jpg

Dizem que há três coisas que o ser humano deveria fazer na sua vida: plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro. 

Para plantar uma árvore, bastará ir a uma zona florestal, levar as sementes (ou uma daquelas árvores bebés que se vendem em qualquer hipermercado), abrir um buraco, colocar a arvore, tapar, regar e esperar que a natureza siga o seu curso.

Não vamos explicar aqui como ter um filho. Se não sabe, provavelmente é porque não tem ainda idade para saber, se sabe não precisa que lhe expliquem.

Escrever e publicar um livro, é o sonho de muitos, ao alcance de poucos. E é precisamente para explicar os passos necessários para editar um livro que aqui estamos hoje. Não são passos infalíveis, nada vos vai garantir o alcance desse sonho, mas podem ajudar. Estas dicas não são para autores consagrados. A esses basta marcar uma reunião com a editora que querem que os edite e, provavelmente, nem precisam de mostrar o manuscrito, que ele seguirá logo para as gráficas.

O primeiro e mais importante passo é reverem todo o texto que escreveram para que não haja erros, sejam eles gramaticais, ortográficos ou de forma. Cada erro que o texto tenha é um passo atrás na edição do livro. Nenhuma editora, por mais pequena que seja, vai aceitar editar livros com erros e poucas são as que tem verba disponível para pagar a revisão de textos. Não usem abreviaturas no texto. O texto deve estar em português correcto.

Feita a revisão, devem, seguidamente, formatar o texto, obedecendo a algumas regras básicas que facilitem a leitura. Usem letras de fácil percepção - Arial, Calibri, Verdana, etc. Comics e afins podem ser bonitas mas cansam a vista e dificultam a leitura. O espaço entre as linhas deve ser de 1,5. Se o livro estiver dividido por capítulos (ou se forem textos isolados), deve estar clara a separação.

Texto revisto e formatado, vem a primeira dificuldade. Encontrar verdadeiros amigos com bons hábitos de leitura. E isto é fundamental porque só alguém habituado a ler e que seja honesto e verdadeiro com o candidato a escritor é que será um verdadeiro avaliador do livro. Os outros irão sempre elogiar o texto, independentemente da sua boa/má qualidade com medo de ferir os sentimentos de quem o escreveu. Lembrem-se que amigos não são aqueles que nos dizem o que queremos ouvir mas sim aqueles que são sinceros e que, com isso, evitam que façamos figura de idiotas.

Se, e só se o livro passar este crivo, então começa o trabalho de pesquisa da editora. Se o livro for de poesia, não vale a pena envia-lo para uma editora especializada em livros técnicos. Se for erótico, não o enviem para uma editora religiosa. Há que pesquisar que tipo de editora se adapta mais ao tipo de livro que queremos editar.

Escolhida a(s) editora(s) para onde queremos enviar o livro, é necessário voltar a escrever. Desta feita um pequeno texto de apresentação do aspirante a escritor e do livro que se envia, indicando as razões porque acha que o livro merece ser editado. Mais uma vez não pode, a carta, ter erros gramaticais, ortográficos ou de forma  Não vale a pena escarrapachar a vida desde que se nasceu, nem dizer que se mata se o livro for editado. Doenças crónicas e fatais, empregos XPTO ou dramas de faca e alguidar devem ser excluídos. Clichés e frases feitas também devem ser postos de lado. Vendam o vosso livro. Pensem no que vos levaria a compra-lo se o livro estivesse no meio de 57.589 outros livros numa qualquer livraria. Esta vossa apresentação é o vosso cartão de visita junto da editora. E vai lhes dizer tudo sobre o autor.

Junto à carta e ao livro, devem juntar a sinopse do livro. Mais uma vez, não cometam erros gramaticais, ortográficos ou de forma. E pensem no que gostam de ler nas sinopses dos outros livros. Na dúvida peguem nos livros que tem em casa, leiam as diversas sinopses para perceber como se faz e depois escrevam a do vosso livro. A sinopse deve destacar o cenário, o enredo, o tema, as personagens, mas pouco mais e sempre de forma concisa, tentando trazendo ao de cima o potencial da obra. Mais uma vez, a chave é fazerem com que o vosso livro se destaque dos demais.

Voltem a pedir aos amigos sinceros que leiam a carta de apresentação e a sinopse. A opinião deles, se for sincera e honesta, poderá ser a mesma do editor.

Tudo concluído? Muito bem, então toca a enviar a carta de apresentação, a sinopse e o manuscrito, por email, para as editoras. Os anexos devem ser, preferencialmente, enviados em .pdf uma vez que é um formato universal. E o email deve ser personalizado. Não enviem para 15 ou 20 ao mesmo tempo. Personalizem o email com o nome da editora e, se possível, o nome da pessoa que o irá ler. Peçam que acusem a recepção, pelo menos para saberem que foi lido.

Email enviado? Agora é esperar por uma resposta, seja ela positiva ou negativa.

______________________________

para saber mais sobre este tema consulte também Como publicar um livro (ou tentar, pelo menos)