Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Diarreia

Neste post eu vou falar sobre a diarreia.

A diarreia consiste no aumento do número de evacuações e/ou a presença de fezes amolecidas, com consistência pastosa e/ou até mesmo líquidas nas evacuações.

 

Classificação

A diarreia é classificada Aguda, quando dura até 14 dias, Persistente, superior a 14 dias ou ainda Crónica, quando ultrapassa de 3 semanas. 

A diarreia crónica pode ser classificada em nove tipos:

  • Osmótica (má-absorção)
  • Secretória
  • Inflamatória
  • Motora
  • Mista
  • Mole
  • Aguada
  • Com torções
  • Sem torções

Causas

Muitos fatores podem provocar a diarreia:

  • Infecções por vírus, bactérias ou parasitas . Porém, para as pessoas que seguem um padrão de higiene mínimo e não se alimentam em lugares públicos, a tendência é adquirir somente a forma viral da doença, que é transmitida em lugares fechados (salas, transportes públicos, igrejas e cinemas.);
  • Alergias;
  • Alguns medicamentos, incluindo antibióticos, antirretrovirais...;
  • Doença inflamatória intestinal;

 

Sintomas

A diarreia pode conduzir à ocorrência de desidratação, que consiste na perda acentuada de água e sais minerais do corpo. A diarreia pode ser identificada a partir dos seguintes sintomas:

  • Olhos encovados 
  • Pele seca
  • Boca seca

Em caso de crianças observar:

  • Fralda seca por mais de três horas
  • Fraqueza e choro fraco
  • Irritabilidade e indisposição para brincar

Consequências

Uma das piores complicações da diarreia é a ocorrência de desidratação, em virtude da redução da absorção de água pelo intestino grosso. Adultos, normalmente são mais resistentes a esse problema, mas bebés, crianças, idosos e pessoas debilitadas tendem a desidratar-se com facilidade, o que exige rápidos cuidados para contenção da crise de diarreia.

 

Tratamento

O tratamento da diarreia consiste essencialmente, em ter alguns cuidados com a alimentação.

  • No caso dos bebés, deve-se diminuir a ingestão de leite. Assim, uma boa opção será fazer as papinhas com água fervida. No entanto, se o bebé ainda se alimenta exclusivamente do leite materno, jamais incluir chás ou outros tipos de alimentos. Deve-se procurar o pediatra e manter a amamentação, por no mínimo 6 meses.
  • Em crianças, são permitidos alimentos como:
  • Alimentos sólidos e secos como: o arroz, as batatas, os cereais (sem açúcar) e as bolachas salgadas e torradas. Alimentos ricos em amido auxiliam na redução do distúrbio.
  • Sopa de arroz e cenoura e canja
  • Banana
  • Frango e peru
  • Iogurte natural
  • Água-de-coco (soro natural)
  • Devem evitar alimentos fritos e gordurosos.
  • Deve-se aumentar a ingestão de água, evitando a ingestão de bebidas muito doces como sucos.

Na maioria dos casos de diarreia o único tratamento necessário é a reposição de líquidos perdidos para evitar a desidratação mas também ter cuidado com os alimentos a ingerir.

Contudo, medicamentos que diminuem os movimentos intestinais, frequentemente usados sem supervisão médica, devem ser evitados. Nas causas infecciosas, a não eliminação dos microrganismos pode levar à invasão do intestino com quadros graves de generalização da infecção e da inflamação. O uso de antibióticos no tratamento das diarreias só deve ser iniciado com prescrição médica.

Também pode ver este post aqui.

Fonte:

Wikipédia