Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Cuidados a ter com os animais de estimação quando está calor

cachorro-piscina_thumb.jpg

Aproxima-se mais uma onda de calor e, se para nós é difícil, imaginem para os nossos animais. Por isso resolvi rebuscar este post para dar alguns conselhos:

Comecemos pelos animais que estão nas gaiolas (pássaros, coelhos, chinchilas, etc). Congele duas garrafas de água (de 1 litro ou litro e meia). Reserve uma e coloque a outra por cima da gaiola. Ao deixar a garrafa com água congelada em cima da gaiola permite que o ar fique mais fresco e seja mais fácil suportar o calor. Assim que a primeira estiver descongelada, substitua pela que ficou no congelador e vá alternando.

É um conselho para o ano todo mas fundamental no verão. Mantenha sempre água disponível para que os seus patudos bebam. Se tiver um bebedouro (daqueles com recipiente), use um termoacumulador congelado dentro do bebedouro para manter a água fresca. Se for uma taça, meta uns cubos de gelo. Ande sempre com água para lhes dar em qualquer lado, quando sair com eles.

Não saia com os seus patudos nas horas de mais calor e evite zonas com sol. As patinhas deles não estão preparadas para suportar um chão muito quente e podem-se queimar. Da mesma forma não os deixe deitar no chão mais quente. Apesar do pelo, as queimaduras podem ser bastante graves.

Se o patudo tiver pelo muito claro, use protector solar e evite, ao máximo, que ele apanhe sol.

Se os patudos estão no quintal/jardim, providencie sombras onde ele se possa proteger.

Não se esqueça que, a altura do verão, é a altura das pulgas, mosquitos e afins. No caso dos cães que saem à rua é fundamental protege-los para evitar que esses bichinhos os chateiem.

Por fim, não deixe, em circunstância alguma, o seu patudo fechado num carro nem que seja por dois segundos. Não o deve fazer no inverno, é proibidíssimo faze-lo no verão.

Conselhos para uma Voz Saudável

(Imagem retirada daqui)

 

      Hoje, dia 16 de Abril, celebra-se o Dia Mundial da Voz. E que tem o Terapeuta da Fala a haver com isso? Tudo. Os Terapeutas da Fala trabalham em parceria com profissionais da voz e trabalham em patologias relacionadas directa ou indirectamente com a voz. O Terapeuta da Fala pode ajudar no aperfeiçoamento da voz com actores, cantores e até políticos e ainda auxiliar pessoas com nódulos nas pregas vocais, rouquidão persistente ou outras patologias associadas à voz.

       A verdade, é que mesmo não sendo profissionais da voz (ou que pelo menos o achemos), a voz é uma das ferramentas mais importantes no nosso dia-a-dia, já experimentaram uma afonia total durante um dia inteiro? Pois é, é terrível não se conseguir falar e expressarmo-nos da maneira mais fácil que conhecemos. Por isso hoje, no Dia Mundial da Voz, deixo-vos alguns conselhos importantes para manter uma voz saudável.

1.jpg

 

           - Espreguiçar faz bem para aliviar tensões, assim como fazer alongamentos, principalmente no que diz respeito ao pescoço e costas. Aliviar essas tensões e dar mobilidade aos músculos irá facilitar o movimento dos mesmos durante a fala. 

           - Bocejar, pode parecer uma vergonha, mas não se preocupem, bocejar ajuda também a aliviar tensões do tracto vocal e com som ainda é melhor. Mas vá, não bocejem em frente ao patrão que a coisa pode correr mal.

           - As cordas vocais são também um órgão e como tal precisam de muita hidratação, quem por natureza fala muito de certeza que sente a necessidade de beber muita água e só faz bem, ajuda a manter toda o tracto vocal em bom funcionamento.

            - Tentar falar o mais possível de frente a frente, isso melhora a postura para falar e diminui a necessidade de falar mais alto ou de adoptar posturas erradas.

2.jpg

 

            - Se já tem a voz cansada sussurrar não é solução é apenas disfarçar e o esforço feito é superior ao falar normalmente.  

            - Se houver necessidade de expelir qualquer coisa, não pigarreiem (ou seja, aquelas tentativas de tirar o 'catarro'), tussam, caso a sensação não passe com água. Pigarrear vai provocar lesões nas cordas vocais, tossir não é bom, mas sempre não provoca tantos danos.

            - Tomar analgésicos aquando dores de garganta tiram apenas a dor e não curam, por isso há que evitar esforçar a voz nesses momentos, assim como tomar rebuçados ou sprays e logo a seguir ir fazer um esforço vocal. Não estamos a curar, apenas a piorar a situação. O ideal é falar o menos possível.

            - Evitar comidas muito picantes, estas não são nada amigas das cordas vocais.

3.jpg

 

            - Se uma rouquidão ou dor de garganta for persistente há que procurar um Terapeuta da Fala ou um Otorrinolaringologista. Não é suposto uma rouquidão durar muito tempo e às vezes pode ser indício de outros problemas que estão camuflados com a rouquidão, nomeadamente, nódulos vocais. 

             - Evitar sítios com fumo de tabaco ou até ar condicionado, estes locais são propícios a provocar problemas vocais (sou muito sensível a estes ambientes e mesmo que não fale, depois de uma noite num bar encontro-me ligeiramente rouca).

             - Não ingerir café, leite e chocolate antes de palestras e actividades em que se recorra muito à voz. Estes alimentos têm uma substância que irá envolver as cordas vocais e diminuir a sua função e aumentar o esforço.

             - Fazer sempre aquecimento vocal para dar palestras ou outro tipo de situações em que a voz seja importante, não são só os cantores que precisam dos aquecimentos, professores e até pessoas que trabalham em call-centers o deveriam fazer.

             - Não aumentar o tom de voz, mas projectar a voz, existe uma diferença entre os dois conceitos, um exige mais das cordas vocais e o outro do sistema respiratório. O ideal será procurar auxílio de um profissional caso precise de 'falar alto' de forma recorrente.

 

Não esperem por terem graves problemas de voz para começarem a dar-lhe o devido valor. Comecem a tratar bem da voz agora.

 

Dúvidas? É só perguntar!

Ingerir alimentos com bolor

Quantas e quantas vezes o pão ou o queijo ganham bolor? A polpa de tomate e outros molhos saborosos também . Será que mesmo assim podem ser consumidos?

 

O bolor é um conjunto de fungos. Vivem em lugares húmidos e escuros. Ao todo existem 300 mil tipos deste mofo.

Um pontinho de bolor num bolo, num pão e em alguns queijos quer dizer que o restante está também contaminado.

Há queijos que são excepção, os chamados queijos duros, como o parmesão e mozarela. Neste caso já é seguro retirar a parte contaminada e depois ingerir. 

Sempre que isto for feito e sentir um sabor a mofo o mais correcto é deitar o alimento ao lixo. 

Na fruta de casca fina: morangos, maças, ameixas, peras, ao mínimo sinal também devem ser deitadas ao lixo.

O mesmo já não acontece com as laranjas, pois têm casca dura. 

Comidas, geleias, e molhos que deixamos por "anos" no frigorífico também devem ser deitados fora, ao mínimo sinal de mofo. 

 

Consequêcias da ingestão de bolor:

  • Diarreia
  • Alergias respiratórias
  • Intóxicação alimentar
  • Cancro

 

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Bolor

http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/vida/noticia/2013/02/aproveitar-alimentos-com-bolor-e-perigoso-para-a-saude-alerta-especialista-4050416.html

http://www.megacurioso.com.br/saude-e-beleza/59822-comer-queijo-ou-pao-bolorento-realmente-faz-mal.htm

 

 

Diarreia

Neste post eu vou falar sobre a diarreia.

A diarreia consiste no aumento do número de evacuações e/ou a presença de fezes amolecidas, com consistência pastosa e/ou até mesmo líquidas nas evacuações.

 

Classificação

A diarreia é classificada Aguda, quando dura até 14 dias, Persistente, superior a 14 dias ou ainda Crónica, quando ultrapassa de 3 semanas. 

A diarreia crónica pode ser classificada em nove tipos:

  • Osmótica (má-absorção)
  • Secretória
  • Inflamatória
  • Motora
  • Mista
  • Mole
  • Aguada
  • Com torções
  • Sem torções

Causas

Muitos fatores podem provocar a diarreia:

  • Infecções por vírus, bactérias ou parasitas . Porém, para as pessoas que seguem um padrão de higiene mínimo e não se alimentam em lugares públicos, a tendência é adquirir somente a forma viral da doença, que é transmitida em lugares fechados (salas, transportes públicos, igrejas e cinemas.);
  • Alergias;
  • Alguns medicamentos, incluindo antibióticos, antirretrovirais...;
  • Doença inflamatória intestinal;

 

Sintomas

A diarreia pode conduzir à ocorrência de desidratação, que consiste na perda acentuada de água e sais minerais do corpo. A diarreia pode ser identificada a partir dos seguintes sintomas:

  • Olhos encovados 
  • Pele seca
  • Boca seca

Em caso de crianças observar:

  • Fralda seca por mais de três horas
  • Fraqueza e choro fraco
  • Irritabilidade e indisposição para brincar

Consequências

Uma das piores complicações da diarreia é a ocorrência de desidratação, em virtude da redução da absorção de água pelo intestino grosso. Adultos, normalmente são mais resistentes a esse problema, mas bebés, crianças, idosos e pessoas debilitadas tendem a desidratar-se com facilidade, o que exige rápidos cuidados para contenção da crise de diarreia.

 

Tratamento

O tratamento da diarreia consiste essencialmente, em ter alguns cuidados com a alimentação.

  • No caso dos bebés, deve-se diminuir a ingestão de leite. Assim, uma boa opção será fazer as papinhas com água fervida. No entanto, se o bebé ainda se alimenta exclusivamente do leite materno, jamais incluir chás ou outros tipos de alimentos. Deve-se procurar o pediatra e manter a amamentação, por no mínimo 6 meses.
  • Em crianças, são permitidos alimentos como:
  • Alimentos sólidos e secos como: o arroz, as batatas, os cereais (sem açúcar) e as bolachas salgadas e torradas. Alimentos ricos em amido auxiliam na redução do distúrbio.
  • Sopa de arroz e cenoura e canja
  • Banana
  • Frango e peru
  • Iogurte natural
  • Água-de-coco (soro natural)
  • Devem evitar alimentos fritos e gordurosos.
  • Deve-se aumentar a ingestão de água, evitando a ingestão de bebidas muito doces como sucos.

Na maioria dos casos de diarreia o único tratamento necessário é a reposição de líquidos perdidos para evitar a desidratação mas também ter cuidado com os alimentos a ingerir.

Contudo, medicamentos que diminuem os movimentos intestinais, frequentemente usados sem supervisão médica, devem ser evitados. Nas causas infecciosas, a não eliminação dos microrganismos pode levar à invasão do intestino com quadros graves de generalização da infecção e da inflamação. O uso de antibióticos no tratamento das diarreias só deve ser iniciado com prescrição médica.

Também pode ver este post aqui.

Fonte:

Wikipédia