Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Bonsai

 A arte de cultivar plantas anãs vem da China, contudo foi aperfeiçoada no Japão.

O Bonsai (palavra de origem japonesa) é uma árvore ou arbusto, com dimensões reduzidas, plantado num vaso de pequena profundidade. Pode ser considerado uma réplica artística de uma árvore natural em miniatura.

O cultivo desta planta tornou-se um hobby, não só no Oriente, mas um pouco por todo o mundo. 

O formato do tronco e galhos do bonsai pode ser modelado através da colocação de arames. Os arames são colocados e mantidos por um ano ou mais, ou até que os galhos já tenham estabilizado no formato desejado.

 

Estilos de Bonsai:

Com o avanço da técnica, apareceram alguns estilos básicos de bonsai. Existem bonsais de diversos tamanhos, entre eles, estão os:

- Menores de 15cm: chamados de mame.
- De 15 a 30cm: considerados pequenos.
- De 30 a 60cm: considerados médios.
- Acima de 60cm: considerados grandes.

 

 

Post também publicado aqui 

 

 

Fugu

O fugu é um peixe servido no Japão, que deve ser confeccionado enquanto ainda está vivo, para não envenenar o comensal. Também conhecido como baiacu, este peixe é considerado o segundo vertebrado mais venenoso da Terra. 

O seu preparo demora aproximadamente uma hora, e o chefe passa mais de trinta minutos eliminando por completo  os vestígios de sangue que possam estar presentes na carne, que também contém imensas toxinas.  As partes do peixe que não podem ser consumidas são deitadas num lixo especial, fechado com um cadeado, pois vários moradores de rua já morreram após consumirem estes dejetos. 

 

 

 

Curiosidades:

  Só restaurantes autorizados é que podem servir esta iguaria, que só pode ser preparada por chefes diplomados. 

 Uma dose de fugu nunca custa menos de 100 euros por pessoa. É um peixe que pode ser consumido de várias formas: sopa com tofu, lombinhos estufados, sashimi, cozido a vapor, peito grelhado, filetes...

 O veneno do fugu  - a tetrodotoxina - não tem sabor nem cheiro. Um micrograma de veneno, por quilo de peso corporal de um humano, é o suficiente para este morrer. O fígado e os ovários são as partes mais venenosas.

  Em caso de ingestão de uma grande quantidade de veneno, os primeiros sintomas surgem ao fim de meia hora: dor de cabeça, boca e gengivas dormentes, falta de sensibilidade nas mãos e paralisia muscular. O coração continua a bater  até ao momento da morte por asfixia. O corpo pode estar paralisado, mas a consciência mantém-se normal. É uma morte lenta. Se forem ingeridas pequenas quantidades de veneno, os sintomas podem surgir ao final de algumas horas. Ainda não se descobriu o antídoto para este veneno.

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes:

Mega Curioso

Bichinho das Viagens

 

Post também publicado aqui

 

Uvas Passas

Manda a tradição que há meia noite se coma doze passas, representando cada uma um mês do ano. Há por aí muitos que não gostam destas maravilhosas uvas, mas como diz o ditado "gostos não se discutem". Eu adoro e costumo comer meia dúzia todos os dias.

 

 

 

Deixo-vos aqui alguns benefícios da uvas passas:

  • São consideradas um dos frutos mais nutritivos, livres de colesterol, baixas em sódio e altas em fibra e não têm gordura nenhuma. São ricas em vitaminas, minerais e antioxidantes.

 

  • São uma grande fonte de energia porque contêm altas doses de hidratos de carbono. Logo, é aconselhável que os desportistas e todos aqueles que tenham actividade física intensiva as consumam.

 

  • São ricas em potássio, mantendo um perfeito funcionamento do organismo, já que ajuda a eliminar os líquidos do corpo e manter as nossas articulações e tendões saudáveis, evitando as cãibras.
  • Contêm várias substâncias nutritivas óptimas para a nutrição humana- Proteínas, fibras vegetais, minerais e vitaminas especialmente vitamina E, A, B1 e B2.

 

  • A comunidade científica tem reconhecido os efeitos benéficos desta fruta para combater as doenças cardiovasculares. Estima-se que o consumo regular de uma xícara pequena de frutos secos reduz o risco de doenças cardiovasculares.

 

 

Post publicado aqui