Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Azeite

Calculo que seja do vosso conhecimento, que devem usar azeite em vez de óleo. É o que faz cá em casa. 

Mas às vezes tal não é possível por razões económicas... Adiante. 

Hoje deixo-vos aqui algumas características do óleo de oliva, conhecido por ser a gordura mais saudável. 

  • O cultivo da azeitona é feito há mais de 8000 anos, e teve início na Síria
  • Há 400 espécies de oliveiras
  • Todas as azeitonas são verdes, e é ao amadurecer que se tornam pretas
  • Para se extrair um quilo de azeite são necessários cerca de seis quilos de azeitonas
  • O azeite virgem é extraído somente por métodos físicos 
  • Uma oliveira pode viver mais de mil anos 
  • Já foi utilizado para marcar as mulheres virgens 

 

Fontes:

http://www.lavioletera.com.br/blog/cozinha-do-mundo/curiosidades-sobre-o-azeite-de-oliva/

http://www.nutricaoclinica.com.br/alimentos-funcionais-azeite-de-oliva/azeite-de-oliva-curiosidades-e-dicas

https://www.google.pt/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=2&cad=rja&uact=8&ved=0CCYQFjABahUKEwibxOWm-onHAhXGaRQKHX87Cbc&url=http%3A%2F%2Fmaisquecuriosidade.blogspot.com%2F2011%2F03%2F20-curiosidades-incriveis-sobre-o.html&ei=bdG9VdvZD8bTUf_2pLgL&usg=AFQjCNGgH_25QuDeORV4ViZ4ZDPheG8d_g&sig2=y-YGSO5l9S1H7sLfrTnXpg&bvm=bv.99261572,d.d24

Azeite

17874402_PQ2yd.jpeg

Cá em casa usa-se imenso azeite - para estrelar e mexer os ovos, para fritar batatas, como tempero, para cozinhar... Somos um dos causadores de Portugal consumir 78 mil toneladas de azeite por ano.

A palavra "Azeite" encontra a sua origem na junção de "az + zait" e significa "sumo da azeitona" - mas afinal que processo transforma a azeitona em azeite?

São necessárias de 1300 a 2000 azeitonas para produzir 250 mililitros de azeite.

Antigamente as azeitonas eram apanhadas à mão mas hoje já há processos mecanizados para a apanha da azeitona. Este processo evita que a azeitona caia no chão e fique danificada.

Depois de pré-seleccionadas por variedade e maturação, as azeitonas são colocadas numa espécie de tapetes rolantes para serem lavadas e limpas. Segue-se a balança, onde são pesadas já sem folhas, e o loteamento em depósito, onde ficam retidas à espera de serem transformadas (as azeitonas verdes são separadas das maduras).

A seguir passa-se ao processo de moagem. As azeitonas são trituradas até ficarem em pasta. Uma vez aquecida a baixa temperatura, a pasta “viaja” para decantadores horizontais que dividem a parte sólida da líquida. A primeira é chamada de bagaço, do qual é retirado o caroço de azeitona para ser posteriormente utilizado no aquecimento da caldeira do lagar. A líquida, por seu turno, é reencaminhada para as centrifugadoras verticais que separam o azeite da água. O azeite é depois filtrado e engarrafado para posterior comercialização.

São três os factores que fazem um bom azeite — gordura, humidade e acidez da azeitona. “Quanto mais gordura tiver, melhor. A humidade tem de estar equilibrada e em relação à acidez… o bom é ser o mais baixa possível”. Os azeites top são aqueles com 0,3% de acidez; acima de 0,8% são desclassificados e passam de “extra virgem” a “virgem”. Recordemos: há três variedades, isto é, categorias que chegam ao mercado, extra virgem (só pode ter qualidades), virgem (admite um pouco de defeito) e o azeite (uma parte vem de azeite refinado e a outra de azeite virgem).

No armazenamento são utilizadas garrafas escuras porque o azeite envelhece e, ao contrário do vinho, perde qualidades.

E quais as vantagens da sua utilização? O azeite é uma gordura com elevada digestibilidade e que não sobrecarrega o sistema digestivo. Tem uma acção benéfica sobre o funcionamento do estômago por diminuir a secreção de suco gástrico e proteger a mucosa. No pâncreas ajuda a melhorar a secreção de insulina, ajudando a manter as glicemias controladas. Tem ainda vantagens ao nível da vesícula biliar e do intestino. Rico em ácidos gordos mono-insaturados revela ainda vantagens a nível cardiovascular, conduzindo a um aumento do colesterol HDL (colesterol "bom"), pelo que tem um efeito protector contra a doença coronária. Fonte de vitaminas lipossoluveis (A, D, E e K), tem um elevado poder antioxidante, retarda o envelhecimento celular, protege e tonifica a epiderme, favorece a absorção de cálcio, a mineralização óssea e o crescimento, acelera os processos metabólicos, reduz a prisão de ventre, favorece a absorção de outras vitaminas e sais minerais e tem efeito protector comprovado contra alguns cancros (mama e intestino).

(retiradas informações de vários sites da internet)