Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Relatório CASA - A realidade do país

Todos os anos cabe ao Departamento de Desenvolvimento Social e Programas/ Unidade de Infância e Juventude a recolha de dados e a elaboração do Relatório de Caracterização Anual da Situação de Acolhimento das Crianças e Jovens.

 

Este relatório pode ser consultado no site da segurança social, ver aqui.

 

Basicamente este relatório contem a informação mais fiável da realidade das crianças e jovens retirados às suas famílias de origem - por se encontrarem em situação de risco - e que dão entrada em instituições de acolhimento.

 

Parar alguns minutos e ver os números apresentados podem dar-nos uma noção da quantidade de crianças e jovens institucionalizados inseridos nos mais variados anos.

 

De acordo com o relatório de 2015, podemos ver que:

 

«Quanto aos escalões etários, e conforme se pode verificar no gráfico supramencionado, realçam-se os escalões etários com maior representação de crianças e jovens os quais não apresentam alterações significativas face a 2014.

15-17 anos – 3.046 (35,4%)

 12-14 anos – 1.738 (20,2%)

 18-20 anos – 1.156 (13,4%)

Por outro lado, verifica-se uma menor incidência nos seguintes escalões etários:

 4-5 anos – 352 (4,1%)

 10-11 anos – 678 (7,9%)

 0-3 anos – 745 (8,7%)

 6-9 anos – 885 (10,3%)

 

Permanece assim a tendência apurada ao longo dos anos com os adolescentes (12- 17 anos) a corresponderem à maior percentagem em situação de acolhimento (55.6%- 4.830),ou seja, mais de metade dos indivíduos com medida de acolhimento está a atravessar a fase da adolescência (face a 2.660 - 30 % dos 0-11 anos)»

 

 

Esta é a nossa realidade, este relatório deve ser conhecido, lido e relido. Aqui fica a minha contribuição para que mais pessoas possam conhecer a realidade nos números alarmantes de crianças e jovens institucionalizados em Portugal.