Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Dizem que hoje é o Dia Nacional do doente com AVC.

Mas afinal, no que consiste esta doença?

 

A= Acidente

V= Vascular

C= Cerebral

 

Também conhecido como Trombose ou enfarte cerebral. 

Consiste numa alteração aguda da irrigação cerebral com apresentação de sinais e sintomas neurológicos (como a alteração da consciência, alteração da sensibilidade e paralisias, por exemplo). Surge quase sempre na sequência de processos de arteriosclerose nas artérias que levam o sangue ao cérebro, ou nos próprios vasos cerebrais.

O AVC é uma doença muito frequente, e para terem uma noção, até há bem pouco tempo era considerada a principal causa de morte em Portugal. Hoje, não é a principal, mas é das principais causas de morte da população portuguesa.

 

Um AVC pode ser considerado isquémico (por falta de irrigação de sangue ao cérebro) ou hemorrágico (por hemorragia numa determinada área do cérebro).

 

IMG AVC 3como-evitar-que-um-mini-derrame-vire-um-a

 

 

  

As causas de qualquer um dos tipos de AVC, podem estar relacionadas com a oclusão de um vaso pela presença de um coágulo (por exemplo) ou trombo (podem visualizar melhor o que é, aqui), podendo levar ao rompimento do vaso, e consequentemente, ao processo hemorrágico.

 

IMG AVC 1 sua_saude_elaine.jpg

 

Os fatores de risco para o aparecimento desta doença integram o aumento da pressão arterial, ser portador de diabetes, ter hábitos tabágicos frequentes, alterações do perfil lipídico (como o aumento do colesterol, que a Dona pavlova já falou, aqui).

 

Que sequelas podem ficar após um AVC?

 

As consequências podem não ser nenhumas, ou muitas. Depende de vários fatores: Da pessoa em si, do local no cérebro onde ocorre o AVC, da altura em que a pessoa é socorrida e da resposta ao tratamento implementado.

Contudo a pessoa pode ficar com dificuldades na fala (afasia), com alterações do estado de consciência, com alterações da sensibilidade (não sentindo tão bem o calor ou o frio, sentir dormências ou "formigueiros" em algumas zonas do corpo, por exemplo), com desorientação, apatia, confusão aguda, incontinência ou retenção urinária, ou incapacidade para realizar determinados movimentos, embora a mobilidade permaneça intacta (apraxia).

Por norma, as alterações ocorrem só num lado do corpo.

 

Que importância tem a altura do diagnóstico?

 

MUITA!

É determinante na resposta ao tratamento por parte da pessoa e no desenvolvimento das sequelas com que uma pessoa poderá ficar posteriormente.

Desta forma, torna-se fundamental que cada um de nós conheça um pouco sobre a doença, não só para cultivo pessoal, como para o sabermos reconhecer. Quem sabe se não podemos vir a ajudar alguém no futuro? 

De seguida, poderão verificar uma imagem bastante explicita referente aos sinais de alerta a reconhecer, que poderão ser indicativos de um Acidente Vascular Cerebral.

 

IMG AVC 2sinais-de-alerta-avc.gif

 

 

Dá que pensar, não dá?

 

1 comentário

Comentar post