Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Curriculum Vitae

curriculum-vitae1.jpg

A redacção do curriculum vitae é uma etapa importante na procura de um emprego ou formação, dado que, na grande maioria dos casos, é o primeiro contacto com um futuro empregador/formador. Deve, por isso, ser elaborado com muito cuidado e de maneira a captar a atenção de quem o está a analisar de modo a permitir-lhe passar à segunda fase – a entrevista.

Quem está responsável pela selecção dos candidatos e, portanto, pela análise dos Cv’s, demora, em média, um minuto a analisá-lo pelo que é importantíssimo que o seu sobressaía aos restantes. E isso consegue-se tendo em atenção alguns cuidados.

Comecemos pelo mais básico – erros ortográficos ou gramaticais. Estes erros são factores de exclusão. Nenhuma empresa quer contratar quem os dê porque será a imagem da empresa que ficará comprometida.

As aptidões e habilitações devem estar apresentadas de forma clara e lógica, valorizando os seus pontos fortes.

Se não tem muita experiencia profissional, inverta a ordem – comece pela educação e formação e evidencie eventuais estágios que tenha frequentado.

Também aqui a “chapa 5” não funciona. Adapte o seu CV ao cargo a que se vai candidatar. Realce aqueles elementos que fazem de si a pessoa que a empresa quer contratar e omita experiencias/formações não relevantes ou demasiado antigas. Mas não empole o seu CV. Se o fizer corre o risco de, na entrevista, acabar por ser desacreditado. Honestidade acima de tudo.

Use a regra dos três C's – convincente, claro e conciso. Utilize frases curtas. O conteúdo deve estar escrito de forma clara e de fácil compreensão. O documento final deverá ter duas páginas no máximo, três em situações extremas – se bem que três podem ser consideradas excessivas, mesmo que tenha uma vasta experiencia profissional. Não use o sublinhado ou o negrito nas suas informações. Use apenas folhas brancas para a impressão.

O modelo Europass é uma das melhores opções para redigir o seu currículo dado que é um modelo universal que permite ao empregador descobrir, em poucos segundos, a informação que pretende do candidato.

Tem duas opções para o fazer – ou utiliza o formulário online (consulte aqui) ou então descarrega o seu CV em formato Word ou OpenDocument.

Comece por preencher os elementos em falta, mas atenção não altere a coluna da esquerda, somente a da direita é que deve ser modificada. Um CV modelo Europass congrega as suas habilitações, aptidões e competências de maneira lógica, por isso, respeite a paginação e o tipo de letra utilizado.

Como preencher

A foto inicial é facultativa, devendo apenas inseri-la se o empregador o solicitar.

Informação pessoal

O nome deverá ser da seguinte forma, “apelido/nome próprio”. Se tiver vários nomes próprios, coloque aquele que utiliza normalmente.

No campo da morada, indique claramente a morada onde pode ser contactado normalmente. Caso a sua morada do momento seja diferente da sua morada permanente, pode inscrever várias moradas, indicando os períodos em que pode ser contactado em cada uma delas.

Obedeça às regras de endereçamento de correspondência do país onde reside de modo a evitar extravios de correspondência que lhe podem custar a entrevista.

O número de contacto telefónico deverá incluir o indicativo internacional (por exemplo no caso de Portugal +351 seguido do número de telefone 21, 91, 96, etc).

Ao colocar o seu email, indique se é o profissional ou pessoal. Tenha em atenção o endereço que usa – gatinha69@msn.com pode dar azo a várias interpretações e ser considerado estranho... Opte por endereços com o seu nome e/ou data de nascimento que são universalmente bem aceites. (desconheço se existe aquele endereço de email, é apenas um dos vários exemplos que poderia dar)

A última informação a preencher neste campo é “Emprego Pretendido/ Área de competência”, tenha especial atenção a esta informação dado que fornece uma perspectiva imediata do seu perfil.

Experiência profissional

Indique a sua experiência profissional relevante, começando pelo cargo profissional ocupado mais recentemente. Caso esteja à procura do primeiro emprego altere a ordem, colocando primeiro a secção Educação/Formação, preenchendo depois este campo com os estágios que comprovem um primeiro contacto com o mundo laboral. Ainda neste campo, dê preferência a cargos exercidos que acrescentem valor à sua candidatura ou que estejam, de alguma forma, relacionados com o cargo a que se candidata.

Educação e Formação

Aborde os cursos e formações concluídas começando pelo mais recente. Seleccione os certificados e diplomas obtidos susceptíveis de representar um factor preferencial para a sua candidatura.

Aptidões e competências pessoais

Refira as várias aptidões e competências adquiridas ao longo da vida, no âmbito do seu percurso educativo, formativo ou profissional, assim como nas suas actividades de lazer. Aqui deverá mencionar as suas aptidões em línguas, competências sociais, de organização, técnicas, de informática e outras.

Para as línguas estrangeiras, use a grelha de auto-avaliação que foi concebida pelo Conselho da Europa no âmbito do “Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas” com vista a permitir aos indivíduos avaliarem-se no que diz respeito à sua capacidade de compreender, falar e escrever numa língua estrangeira. Consulte aqui a grelha para saber qual a sua classificação.

Informação opcional

Pode ainda incluir outras informações que podem ajudar a valorizar a sua candidatura mas sempre tendo em atenção o tamanho final do documento e o que é mais relevante para o cargo a que se candidata.

Incluem-se, neste âmbito, as aptidões e competências sociais (capacidade de viver e trabalhar com outras pessoas, no âmbito de postos de trabalho onde a comunicação é importante, em situações onde o espírito de equipa é fundamental (por ex.: na cultura e no desporto), em ambientes interculturais, etc.); aptidões e competências de organização (capacidade de coordenar e gerir projectos ou orçamentos, em contexto profissional, em actividades de solidariedade social (por ex. na cultura e no desporto), bem como na esfera privada); aptidões e competências técnicas (domínio de equipamentos ou máquinas específicas (não informáticos), ou as aptidões e competências de carácter técnico adquiridas numa área específica (indústria transformadora, sector da saúde, sector bancário, etc.);  aptidões e competências informáticas (abrangem o software de tratamento de texto e outros (consulta de bases de dados, navegação na Internet, competências avançadas - programação, etc.).; aptidões e competências artísticas; outras aptidões e competências; carta de condução e informação adicional (onde poderá divulgar, por exemplo, se publicou um livro; se é membro de uma organização profissional; nomes de pessoas a contactar para referências, etc).

Poderá ainda anexar alguns documentos que considere importantes, obedecendo a uma ordem lógica e sem excessos. Junte apenas fotocópias simples (ou certificadas, caso seja exigido).

Para terminar, apague os campos que não utilizou e reveja o conteúdo. Peça a amigos ou familiares que leiam o seu CV para verificarem se está claro e perceptível.

Consulte aqui vários exemplos de CVs.

E boa sorte!

Informações retiradas de

Europass 

Um Curriculum Vitae Europeu em poucos minutos

Outros sites

5 comentários

Comentar post