Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

As marcas do país trocado

Há marcas que fazem mais ou menos como aqueles casais do bairro da lata que chamam Carminho e José Maria aos filhos. Ou seja, os donos dão-lhes um nome que as fazem parecer uma coisa que não são, para obterem respeito. No caso, para parecer que são doutro local. Doutro país. 
Chama-se a isto, nos meandros do marketing, o foreign branding. Por exemplo, é muito comum que as marcas de cosmética utilizem nome que soam franceses porque lhes reconhecemos autoridade nisso da beleza e da moda, ou que marcas orientais usem nomes ingleses por uma questão de globalização. Eu também devia ter dado um nome francês ao meu blog (se quisesse usar esta técnica) porque é o país de onde saíram mais premiados com o Nobel da Literatura. Estou mesmo a considerar passar a Marie des Mots

Algumas marcas bem conhecidas, pelas quais dávamos uma perninha, batendo com a mão no peito, jurando que são daqui ou dali...não são. Querem jogar às adivinhas? Vamos a isso. 

A galeria de fotos seguinte apresenta-vos a marca e logo a seguir (cliquem na seta) revela o país a que pertence. Depois digam-me nos comentários quantas acertaram (se tiveram de julgar pelo nome, claro).

 

 

 

Quando boceja um português, bocejam 2 ou 3

 

Quando vê-mos uma pessoa a bocejar, mesmo não tendo vontade de dormir ou aquela preguiça, automaticamente abrimos a boca também.

E…meus amigos, porque é que isto acontece?

Até há bem pouco tempo nenhuma das teorias era considerada 100% fiável ou concreta mas, cientistas da Universidade de Viena em conjunto com algumas universidades dos EUA realizaram estudos em conjunto com várias amostras de população e concluíram que o bocejo contagioso ocorre mais frequentemente em pessoas que vivem em locais onde a temperatura ambiente é considerada amena – em muito fria nem muito quente – como é o caso aqui do nosso Portugal.

As pessoas sentem vontade de bocejar pois é um mecanismo de sobrevivência com o efeito colateral de refrescar o cérebro, tornando-nos mais atentos e menos propensos a adormecer.

Pode ser comparado a um processo de comunicação no qual o corpo é o emissor e o cérebro o receptor.

O bocejo pode dar-se antes ou depois de dormir, quando estamos entediados ou sob stress.

Contagioso ou espontâneo, os cientistas afirmam que o bocejo está diretamente relacionado com a regulação de temperatura e oxigenação do cérebro.

fotos-engracadas-no-facebook-bocejar.jpg

 (imagem retirada da Internet)

 

Então, já te fiz bocejar hoje?