Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

O que é a Afasia? II

Se na semana passada falamos sobre a Afasia, uma das consequências de um AVC (por exemplo), esta semana iremos observá-la. Uma coisa é falarmos das suas características, outra coisa é observarmos a pessoa com Afasia. Muitas vezes o primeiro impacto com pessoas com Afasia faz com que não saibamos reagir, pois a teoria é uma coisa e a prática é outra. Lembro-me perfeitamente de nas aulas os professores nos prepararem para esse desafio, contudo não impediu o meu 'choque' quando observei pela primeira vez num senhor de 43 anos com uma Afasia de Wernick. Mais que o conhecimento teórico é preciso ver e saber lidar com uma pessoa com Afasia e hoje é o que vamos fazer.

Podemos ainda fazer outro exercício: Limpem a vossa mente e vejam o primeiro dos vídeos, o que fariam se um dia acordassem e as palavras que queriam dizer não vos chegassem à boca? O que fariam se olhassem para uma pessoa e não percebessem nada do que diziam? E se vocês mesmos conseguissem aperceber-se de que tudo o que diziam não fazia sentido? É algo assustador, mas a verdade é que há milhares de pessoas que lidam com isso todos os dias e o Terapeuta da Fala auxilia na aprendizagem de um novo método de comunicação ou na melhoria das capacidades para a comunicação.

 

Afasia de Wernick, não há paragens do discurso, no entanto a senhora tem imensas dificuldades de compreensão como se pode observar com a falta de respostas às perguntas feitas, nem realiza as tarefas pedidas. Por vezes utiliza apenas uma palavra para executar a tarefa, 'Mostra-me como se dá um beijo', ela recorre só à palavra beijo para imitar. O vídeo é em inglês, mas as características são evidentes.

Afasia de Broca, é observável que a jovem sabe o que deve dizer mas não se lembra das palavras, a Sarah compreende o que lhe dizem, mas não consegue verbalizar a resposta em tempo imediato, não mantendo um discurso fluente. É como se as palavras não lhe formassem no cérebro. Reparem nas pausas que faz e nos 'hummm' que faz para pensar na palavra que quer dizer.

Afasia Global, semelhante à Afasia de Broca. A terapeuta questiona onde estão, responde no parque. O senhor compreende, mas não consegue responder nem repetir o que lhe dizem, a leitura e a escrita encontram-se também afectadas.

Afasia de Condução, vejam que a senhora percebe a tarefa que tem de fazer, contudo a meio da tarefa erra e não consegue retomar o exercício, apercebendo-se da falha. É como se a informação entre o cérebro e a boca se perdesse pelo caminho.

Afasia Anómica, reparem que o senhor não parece ter qualquer problema de linguagem e fala, O discurso é fluente, percebe as questões e consegue expressar-se, o problema da Afasia Anómica é que é facilmente camuflada, pois a única dificuldade que o senhor refere é que quando quer fazer um pedido, por exemplo num restaurante, não consegue dizer as coisas e demora mais tempo e por vezes os empregados ficam sem paciência. Ou seja, o que ele não consegue fazer é dar nome às coisas, bastava mostrar-lhe cartões com imagens e essas dificuldades seriam evidentes.

 

Acho que hoje foi mais fácil para perceberem o que é uma Afasia, afinal ver é mais fácil de compreender, mas mais difícil de lidar com estas situações. Pois lembrem-se, até 'ontem' estas pessoas tinham uma vida completamente normal.

 

P.S.: Qualquer dúvida que tenham é só perguntar!

Desafios e Fan Fiction

O post de hoje vai ser dividido em duas partes... não, não vou ainda continuar com a história do cinema... a verdade é que tropecei em duas coisas que queria partilhar convosco: um desafio sobre cinema e uma prequela realizada por fãs de uma saga.

 

O Desafio

O Desafio "Eu e os filmes" foi proposto pela Alexandra e consiste em todos os dias do mês de abril respondermos a algumas perguntas (podem consultar aqui), uma por dia, às 15h.

Deixo a proposta para quem tiver interessado. O objetivo é a partilha de conhecimento entre todos os que estão na blogosfera.

 

Então, alguém se sente tentado?

_______________________________________________________________________________________________________

 

A Fan Fiction

Andava eu perdida pelos caminhos do facebook e tropecei numa notícia interessante. Um grupo de fãs resolveu produzir uma prequela sobre a vida de Severus Snape e como é que ele se iniciou como Devorador da Morte. Falo na saga Harry Potter.

 

Sinopse

Severus Snape é uma das personagens mais fascinantes de toda a saga. Não é preto nem branco mas cinzento. Não é totalmente do mal mas também não é o típico herói bonzinho.... tudo por amor a Lilly.

Este filme de Fan Art passa-se em 1978 quando os quatro amigos James, Sirious, Remus e Peter sairam de Hogwarts, encontram-se num bar a festejar e de repente aparece Severus (que também terminou os seus estudos nesse ano).

Ao ver que este se encontrava no bar, James desafia-o mas são expulsos do bar. Vão então para uma floresta, onde um duelo de 4 contra 1 se inicia até ao momento em que Lilly aparece.

Esta história é contada em flashback, por Severus a um desconhecido nesse mesmo bar...


A direção do filme é de Justin Zagfri

Como atores, Mick Ignis, Kevin Allen, Dani Jae, Paul Stanko, Garrett Schweighauser e Zachary David.

 

Ressalvo que não é de profissionais... só um grupo de fãs... mas são 25 minutos que valem a pena ver!

 

Severus Snape and the Marauders

 

 

Consignação de 0,5% do IRS

Começa hoje a entrega do Modelo 3 do IRS (em Abril será a entrega da primeira fase, em Maio da segunda fase) e optei por vos relembrar que é possível ajudar uma instituição à vossa escolha através da consignação de 0,5% do IRS que está regulamentado pela Lei 16/2001 (artigo 32 nº4 e 6) e que muitos desconhecem.

Esta consignação permite ajudar algumas Instituições religiosas, Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) ou Pessoas Colectivas de Utilidade Pública sem que gastar qualquer dinheiro. O valor calculado é retirado do imposto que deveria ficar para o Estado (e não do valor que o contribuinte tem a receber nem é acrescido ao valor a pagar).

Para fazê-lo, basta, no quadro 9 do anexo H preencher o nome da instituição e o número de identificação de pessoa colectiva (NIPC) da entidade. A lista das instituições está disponível aqui para consulta.

Afinal, ajudar está nas mãos de todos, basta querer.

 

(informações retiradas do portal das finanças)

Pág. 4/4