Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aprender uma coisa nova por dia

Nem sabe o bem que lhe fazia

Dizem que hoje é o Dia Nacional do doente com AVC.

Mas afinal, no que consiste esta doença?

 

A= Acidente

V= Vascular

C= Cerebral

 

Também conhecido como Trombose ou enfarte cerebral. 

Consiste numa alteração aguda da irrigação cerebral com apresentação de sinais e sintomas neurológicos (como a alteração da consciência, alteração da sensibilidade e paralisias, por exemplo). Surge quase sempre na sequência de processos de arteriosclerose nas artérias que levam o sangue ao cérebro, ou nos próprios vasos cerebrais.

O AVC é uma doença muito frequente, e para terem uma noção, até há bem pouco tempo era considerada a principal causa de morte em Portugal. Hoje, não é a principal, mas é das principais causas de morte da população portuguesa.

 

Um AVC pode ser considerado isquémico (por falta de irrigação de sangue ao cérebro) ou hemorrágico (por hemorragia numa determinada área do cérebro).

 

IMG AVC 3como-evitar-que-um-mini-derrame-vire-um-a

 

 

  

As causas de qualquer um dos tipos de AVC, podem estar relacionadas com a oclusão de um vaso pela presença de um coágulo (por exemplo) ou trombo (podem visualizar melhor o que é, aqui), podendo levar ao rompimento do vaso, e consequentemente, ao processo hemorrágico.

 

IMG AVC 1 sua_saude_elaine.jpg

 

Os fatores de risco para o aparecimento desta doença integram o aumento da pressão arterial, ser portador de diabetes, ter hábitos tabágicos frequentes, alterações do perfil lipídico (como o aumento do colesterol, que a Dona pavlova já falou, aqui).

 

Que sequelas podem ficar após um AVC?

 

As consequências podem não ser nenhumas, ou muitas. Depende de vários fatores: Da pessoa em si, do local no cérebro onde ocorre o AVC, da altura em que a pessoa é socorrida e da resposta ao tratamento implementado.

Contudo a pessoa pode ficar com dificuldades na fala (afasia), com alterações do estado de consciência, com alterações da sensibilidade (não sentindo tão bem o calor ou o frio, sentir dormências ou "formigueiros" em algumas zonas do corpo, por exemplo), com desorientação, apatia, confusão aguda, incontinência ou retenção urinária, ou incapacidade para realizar determinados movimentos, embora a mobilidade permaneça intacta (apraxia).

Por norma, as alterações ocorrem só num lado do corpo.

 

Que importância tem a altura do diagnóstico?

 

MUITA!

É determinante na resposta ao tratamento por parte da pessoa e no desenvolvimento das sequelas com que uma pessoa poderá ficar posteriormente.

Desta forma, torna-se fundamental que cada um de nós conheça um pouco sobre a doença, não só para cultivo pessoal, como para o sabermos reconhecer. Quem sabe se não podemos vir a ajudar alguém no futuro? 

De seguida, poderão verificar uma imagem bastante explicita referente aos sinais de alerta a reconhecer, que poderão ser indicativos de um Acidente Vascular Cerebral.

 

IMG AVC 2sinais-de-alerta-avc.gif

 

 

Dá que pensar, não dá?

 

A verdadeira origem da "dor de cotovelo"

slide20.jpg

 

A maioria dos grandes nervos do corpo está protegida por músculo, osso e outros tecidos.

A exceção a tal, é o nervo cubital, que atravessa o braço de cima a baixo, passando pelo cotovelo. Este nervo comanda os dedos anelar e mínimo e envia informação sensorial ao sistema nervoso central, sendo fundamental para conseguirmos dobrar os dedos e o pulso.

Quando se bate com o cotovelo, o úmero toca no nervo e choca contra os axónios do mesmo, o que o cérebro interpreta como uma sensação de formigueiro dolorosa.

Se repararmos, não é o cotovelo que dói, dado que não existem recetores para a dor na região do cotovelo, sendo esta dor, um produto da pancada de outro local no corpo.

Por norma, ocorre uma sensação dolorosa forte e prolongada, mas que acaba por passar. É então daqui, que deriva a expressão popular "dor de cotovelo", que está figuradamente relacionada com sentimentos de inveja.

 

Vacina do HPV

Hoje vou falar de uma vacina muito importante que eu na sexta-feira fui levar.
A vacina do HPV. Antes a vacina dava-se aos 13 anos 3 doses e agora a passou a 2 doses a partir dos 10 anos.
A vacina não protege contra todos os tipos de HPV que podem provocar cancro, mas previne o cancro do colo do útero associado aos dois tipos de HPV mais frequentes.
Trata-se de uma vacina exclusivamente preventiva e por isso deve ser administrada, de preferência, antes do início da vida sexual ativa.
A maior incerteza no que respeita à vacina diz respeito à duração da imunidade, uma vez que, tratando-se de um fármaco novo, não é possível comprovar a sua persistência para além de cinco anos.

Também pode ver  este post aqui.

Exercite-se enquanto trabalha sentado

 

Cada vez mais ouço pessoas a dizerem que não têm tempo para fazer exercício, que passam muito tempo sentadas no local de trabalho, que quando chegam a casa já vão cansadas e não apetece fazer nada, blá, blá, blá, etc....

E que tal se eu vos disser que podem exercitar-se enquanto estão sentados/as no vosso local de trabalho?

Pois é possível e vou dar-vos alguns exercícios que poderão colocar em prática sem ter que tirar o rabinho da cadeira, enquanto trabalham.

 

- Glúteos: para conseguirem uns glúteos de aço, definidos e tonificados, apertem as nádegas uma contra a outra e aguentem por 10 segundos. Façam 5 séries de 8 repetições. Ninguém irá notar que estão a trabalhar o vosso bumbum.

secretá´ria.jpg

 

- Rotação dos tornozelos: façam rotações dos tornozelos em ambos os sentidos durante 5 segundos. Executem 5 séries de 8 repetições para cada direcção. Este exercício irá aumentar a flexibilidade dos tornozelos e evitar que sofram de entorses.

rodar-tornozelo.jpg

 

- Alongar os braços: só porque estão sentados numa secretária, não quer dizer que não devemos exercitar os braços. Façam como na imagem e sintam o alongamento por 5 segundos. Façam 8 repetições em cada braço.

braço.jpg

 

 - Tonificação dos gémeos: enquanto está sentado/a eleve as pernas até ficar em bicos de pés e aguente a posição por 10 segundos. Repita 8 vezes.

panturrilha.jpg

  - Rotação da cintura: enquanto permanece sentado/a rode a cintura até ao máximo para o lado esquerdo e aguente a posição por 5 segundos e depois repita para o lado direito. Complete 5 séries. Se for necessário agarre com as mãos os braços da cadeira para um maior suporte.

rotação cintura.jpg

 - Abdominais: sente-se à beira da cadeira e não encoste as costas no encosto. Levante as pernas alguns centímetros do chão, aguente essa posição com as pernas esticadas. Depois eleve as pernas e retorne à posição inicial. Faça 3 séries de 10 repetições.

abdominais.jpgabdominais2.jpg

 

 - Elevação de pernas: comece com os dois pés apoiados no chão e eleve uma de cada vez até tocar no interior da sua secretária. Faça 10 séries de 8 repetições em cada perna.

pernas.jpg

 E agora já não há desculpas...

 

 

Fotos retiradas da internet

 

 

Luvas

A luva apareceu devido à necessidade do homem proteger as mãos contra o frio e o calor, e contra as actividades pesadas.

Devido à revolução cultural do século XII, que teve como vantagem o aparecimento da moda, as luvas passaram a fazer parte do vestuário e tornam-se numa forma de adornar o corpo. 

Fabricadas com diferentes materiais e cheias de adornos, passam a representar a riqueza e o poder. Desde então, valores simbólicos eram-lhes agregados: ao cumprimentar uma pessoa de alta autoridade, era necessário retirar a luva da mão direita em sinal de respeito; as mulheres poderiam demonstrar preferência por um homem ao retirar a luva e lhe entregar a sua mão; se um cavalheiro atira-se as luvas aos pés de outro, esta a propor-lhe um duelo...

As luvas curtas eram usadas durante o dia ou quando se usavam mangas longas. A partir de 1500 eram feitas de seda, algodão, ou tricô e normalmente eram bordadas com motivos das melhores tapeçarias da época. Nos anos de 1800 era considerado chique usar luvas longas de camurça abotoadas.

 As luvas sem dedos são usadas desde a Grécia e a Roma antigas, e foram criadas para tarefas que necessitavam da utilização dos dedos, como bordar e costurar. Eram muito usadas por quem gostava de mostrar seus anéis.

No século XX as mulheres usavam todos os tipos de luvas, longas, curtas, sem dedos, das mais variadas cores e texturas, para jantares sofisticados, para dirigir e até para cuidar do jardim. Durante a II Guerra Mundial a escassez de recursos encurtou o fabrico das luvas e diminuiu o seu uso, fazendo com que muitas vezes fossem produzidas em casa e feitas de lã.

Hoje as luvas são como qualquer outro acessório, os seus significados simbólicos perderam a sua força na moda actual.

(É possível identificar vestígios delas nas épocas mais remotas e em antigas civilizações, como no túmulo de Tutancâmon- Faraó do antigo Egipto.)

 

Aliança

Deixando para lá as de namoro e as de noivado, falemos da origem da aliança de casamento, da união entre duas pessoas!

 

Segundo os historiadores, os Faraós  foram os primeiros a usar este acessório, que significava eternidade, perante uma promessa de honrar um compromisso ou um contrato.

A origem desta bijutaria ser usada para simbolizar o matrimónio vem dos hindus. 

Inicialmente, a aliança era vista como um certificado de posse sobre a noiva, indicando que esta não se encontrava disponível para mais nenhum homem. 

Durante o século IX, a igreja Católica adoptou a aliança como símbolo de união e de fidelidade entre os casais cristãos.

Quanto à sua forma, esta é circular, pois um círculo não tem fim- representando o amor eterno. 

É usada no dedo anelar porque antigamente se acreditava que nesse dedo havia uma veia ligada ao coração, e a mão utilizada é a esquerda pois diz-se que está mais próxima do coração.

 

Cerveja

 

cerveja.jpg

 

E perguntam vocês... mas isto é natal e vens falar de cerveja? É verdade. Tenho uma amiga que está quase quase a abrir um negócio de cerveja artesanal em Lisboa e lembrei-me que podia contar um bocadinho do que aprendi com ela. Que não sei muito mas a net ajuda :P hehe

 

Quanto mais escura é a cerveja, mais álcool contém – Não é uma verdade absoluta uma vez que todos os componentes fazem variar o álcool e não a cor. 

 

O que pode estragar a cerveja –  A cerveja pode estragar-se com o ar, a luz e o tempo. A temperatura não estraga a cerveja a menos que seja uma temperatura extrema.

 

As cervejas dos EUA têm menos álcool que as dos outros países – Os americanos usam a média de álcool por peso, enquanto os outros países usam o padrão de álcool por volume. Uma vez que a cerveja pesa menos que a água, as cervejas americanas apresentam números menores, mas não menos álcool.

 

O paladar amargo ou doce das cervejas – O amargo da cerveja vem de um componente (presente em todas cervejas) responsável pelos maltes doces e que age como conservante. Algumas cervejas têm mais e outras têm menos.

 

Agora umas curiosidades:

Existem receitas de cerveja com 5.000 anos!

Há mais de 400 variedades de cerveja por todo o mundo!

Cenosilliacaphobia é o medo de ficar com o copo de cerveja vazio!

Cerveja + leite = BILK! - inventada por um japonês

transferir.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

Como se atribui os nomes dos furacões

thumb.jpg

 

Num destes dias ao jantar, e a propósito do ciclone que atingiu Vanuatu, a minha gaiata perguntou-nos como eram atribuídos os nomes aos ciclones, dando, com isso, origem a este texto.

Lá atrás, nos primórdios do séc. XIX, os furacões eram baptizados com nomes de santos. Mais tarde optou-se pela junção da latitude e a longitude de formação destes fenómenos o que tornava o sistema bastante complexo. Já no século XX, nos idos 1951, usou-se, por muito pouco tempo, o alfabeto fonético. Mas foi em 1953 que se optou, definitivamente (até à próxima mudança) que seriam atribuídos nomes – primeiros só femininos e, desde 1979, também masculinos.

A título de curiosidade, o primeiro furação baptizado por este sistema foi chamado de Able.

Hoje em dia é a Organização Meteorológica Mundial (sediada em Genebra) que escolhe os nomes para os furacões, publicando, aqui, as listas.

A lista de nomes é rotativa, uma para cada ano e repete-se por ciclos de 6 anos. Para cada ano, são atribuídos 26 nomes, cada um deles começando por uma diferente letra do alfabeto, alternando-se os nomes femininos e masculinos. Por exemplo, A=Anthony, B=Barbara, C=Christopher, etc.

De referir ainda que, quando um furacão causa danos excessivos, o seu nome é retirado da lista. Desde que implantada e até 2005, já foram retirados 67 nomes. O primeiro a deixar a lista foi Hazel em 1954 e os últimos foram Dennis, Katrina, Rita, Wilma e Stan.

 

Fontes:

World Meteorological Organization

Wikipédia

Instituto Português do Mar e da Atmosfera

Sinusite

Muitos já ouviram falar, mas nem todos entendam na realidade o que é. A descrição mais comum é - Uma inflamação dos seios da face. Mas onde estão eles?  

Sinusite.jpg

 

Os seios são cavidades ósseas ao redor dos olhos, nas maças do rosto e no nariz. A mucosa inflamada acumula-se nessas cavidades causando assim a sinusite.

As causas deste problema são variadas, desde bactérias, fungos, vírus e até mesmo factores alérgicos. Pode aparecer após uma infecção, um episódio de alergia, ou qualquer outro problema que altere a correcta drenagem das secreções dos seios.

 

Dependente da duração dos episódios de sinusite podemos dividi-la em aguda e crónica. Se for inferior a 12 semanas é aguda e se for superior será crónica.

 

Os seus sintomas, seja aguda ou crónica, são semelhantes e estão associados a uma obstrução nasal ou secreção nasal:

 - Pressão ou dor na face

- Redução/ perda do olfato

-Dor no ouvido

-Dores no maxilar superior e nos dentes

- Tosse

- Garganta inflamada

- Mau Hálito

- Fadiga e irritabilidade

-Náusea

-Perda de apetite

-Dores de cabeça que podem ser muito fortes

 

O tratamento desta doença varia muito consoante a pessoa e a origem da sinusite, por isso deverá consultar um médico especialista para melhor tratar este problema que pode diminuir a qualidade de vida.

 

Fonte:

http://www.minhavida.com.br/saude/temas/sinusite

http://www.tuasaude.com/sinusite/

 

Epilação ou depilação

Chegou a primavera e como tal, lá começamos nós a preocuparmos com o corpo ... ginásios, caminhadas, corridas e a remoção dos pelos (com mais frequência nesta época).

 

Este é um tema com muitas dúvidas e mitos, já com diversas explicações. Hoje venho apenas explicar uma diferença de linguagem, que só há poucos meses me apercebi, ao ler o placar de promoção da minha esteticista.

 

Dizemos habitualmente que vamos fazer a depilação. Sim diversas pessoas fazem-no em casa, normalmente no banho, e nalgumas zonas do corpo, como axilas ou pernas, por exemplo. Mas existe outro modo de remoção de pelos, que a maioria das pessoas utiliza e continua a chamar-lhe de depilação, mas refiro-me à epilação.

 

A depilação é a remoção dos pelos por corte, junto à superfície da pele. Os folículos pilosos, internos não são removidos. Utiliza-se para a depilação as lâminas, cremes e espumas depilatórios e descoloração. Em nenhum dos casos existe dor no corte, mas é preciso ter algum cuidado especialmente com os cremes depilatórios, que devem ser testados em pequenas zonas, para evitar alergias extensas, no caso de não ser adequado ao tipo de pele.

 

A epilação caracteriza-se pela remoção total do pelo desde a raiz, que fica no interior da pele. As ferramentas para remoção utilizadas neste caso são: pinças, cera, maquinas epiladoras, laser, luz pulsada, electrolise, entre outros. Este processo é um pouco mais doloroso, alguma pessoas tem mesmo muita dificuldade em suportar, mas mais duradouro. Neste caso, e para evitar fulicolite, deve ser feita uma esfoliação 3 dias antes, que vai permitir abrir os poros e permitir uma melhor remoção dos pelos.

 

Tanto um método como o outro são temporários, não é eliminada a papila do pelo, ou seja volta a renascer, mais rápido no caso da depilação do que na epilação.

 

Ficam algumas dicas que ajudam na boa prática de epilação e ajudam a prolongar o seu efeito:
1 - deve-se evitar o sol logo após a epilação;
2 - recomenda-se 1 semana a 3 dias antes da epilação uma esfoliação corporal ou um banho com uma luva de crina ou de cerdas naturais;
3 - em pessoas que fiquem sempre com a pele sensível após a epilação, aconselha-se o uso de um bom creme com princípios activos calmantes, como o azuleno ou a camomila.

Pág. 1/5